quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Escolas públicas do DF disputam prêmio para projetos de saneamento

Finalistas — como a Escola Classe 15 de Ceilândia — chegam à última etapa, na quinta (8), com apresentação sobre os trabalhos. Concurso é da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental em parceria com órgãos do governo de Brasília

Os alunos desenvolvem um projeto de sustentabilidade dividido em cinco frentes, uma delas é a horta escolar. Foto: Pedro Ventura.
O júri será formado por órgãos do governo de Brasília, parceiros do certame, e pela organizadora, a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental do DF (Abes).

Entre as classificadas para a fase final, a Escola Classe 15 de Ceilândia desenvolveu um projeto dividido em cinco frentes: posto de coleta de óleo, horta escolar, coleta seletiva, prevenção da dengue e identificação de vazamento. “A gente foca no mais primordial, que é a criança. Aí, ela leva para casa o conhecimento e vira uma multiplicadora, passa a informação, conscientiza”, destaca o diretor da unidade, Ricardo Koziel.
"A gente foca no mais primordial, que é a criança. Aí, ela leva para casa o conhecimento e vira uma multiplicadora, passa a informação, conscientiza"Ricardo Koziel, diretor da Escola Classe 15 de Ceilândia

Para isso, os alunos iniciaram campanhas a fim de conscientizar sobre os malefícios do descarte incorreto do óleo de cozinha e incrementaram o trabalho na horta da escola. “Incluímos a criação da composteira, para que os alunos tenham noção do reaproveitamento”, acrescenta Koziel.

Como a unidade, que tem 450 alunos do 1º ao 5º ano, funciona em período integral, havia muito descarte de restos — como cascas de frutas e verduras — que agora são destinados para a compostagem. “Aprendemos mais nas oficinas, trabalhando na horta, não apenas dentro da sala de aula”, avalia Isabelle Lopes, 10 anos, do 5º ano.

O engajamento nos projetos também incentiva Lunna Alves, 11 anos, 5º ano, nas atividades escolares: “É um modo descontraído, não tem a tensão da sala de aula. É mais fácil estudar assim”.

A Escola Classe 15 de Ceilândia concorrerá com o Centro de Ensino Fundamental 01 do Riacho Fundo II, a Escola Classe Monjolo, o Centro de Ensino Fundamental 2 de Brazlândia e o Centro Educacional Agrourbano Ipê.
"É um modo descontraído (de aprender), não tem a tensão da sala de aula. É mais fácil estudar assim"Lunna Alves, aluna do 5º ano da Escola Classe 15 de Ceilândia

A proposta do concurso, que tem o objetivo de melhorar o saneamento básico com educação ambiental e mobilização da comunidade escolar, é que as unidades façam um diagnóstico no ambiente interno e no entorno. Assim, a partir dessa análise, os alunos e servidores devem se dedicar a ações para melhorar os pontos identificados.

Para dar continuidade às propostas do projeto apresentado no concurso, a escola vencedora ganhará R$ 10 mil. O segundo lugar receberá R$ 5 mil; o terceiro, R$ 3 mil e o quarto, R$ 2 mil. Da 5ª à 10ª posição, o prêmio será de R$ 1 mil. A premiação é patrocinada pela Caixa Econômica Federal.

O Centro Educacional 4 de Sobradinho, o Centro de Ensino Fundamental 213 de Santa Maria, a Escola Classe Colônia Agrícola Vicente Pires, a Escola Classe 100 de Santa Maria e o Centro de Criatividade Infanto-Juvenil são os classificados de 5º ao 10º lugar.
R$ 10 milValor da premiação para a escola vencedora

Na quinta-feira (8), a comissão julgadora definirá os vencedores entre os cinco primeiros finalistas com base na apresentação, que é a terceira e última etapa. “Cada um terá 10 minutos para apresentar, e vale tudo, dançar, cantar, usar vídeo, mas o tempo é rígido. Alunos e professores podem participar, mas vai ser cronometrado”, explica a arquiteta Andrea Portugal, membro do Comitê de Resíduos Sólidos da Abes-DF.

Na primeira etapa, o júri avaliou os critérios técnicos, ou seja, se as escolas cumpriram as exigências do edital. Na segunda, a análise foi qualitativa.

Fazem parte da comissão julgadora, representantes da Secretaria de Educação, do Conselho de Educação do DF, da Universidade de Brasília (UnB), da Abes-DF, do Serviço de Limpeza Urbana do DF (SLU), da Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) e da Caixa Econômica Federal.

A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do DF (Adasa) e a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) também são parceiras da iniciativa.

Apresentação e premiação do concurso Saneamento nas escolas: nós fazemos

Em 8 de dezembro (quinta-feira)

Às 14 horas

No auditório do Crea-DF (SGAS Quadra 901, conjunto D – Asa Sul)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Melhores da semana