domingo, 30 de abril de 2017

Ser síndico hoje é preciso ser quase um super-herói

Por Dra. Isabella Pantoja

Tenho me deparado com um mundo bastante cruel, onde as pessoas falam o que querem, dá forma que querem. Mas, se tem um profissional que sofre com esse tipo de tratamento, chama-se síndico!

Resultado de imagem para sindico CONDOMINIOS


É uma covardia o que fazem com os síndicos em condomínios por aí a fora…Tá! 

Alguém vai falar: “Ah Dra. ele não é transparente, ele não leva às questões pra Assembleia, não presta as contas…” Tudo bem, ninguém é santo! Mas daí, escrachar uma pessoa que bem ou mal está fazendo ou tentando fazer a gestão do seu condomínio é demais! 

Via de regra, costumo representar os CONDOMÍNIOS. Vejam bem, não são os condôminos e nem os síndicos! Mas não tem jeito, é a minha carreira toda explicando isso em Assembleia! Ou é o síndico bravo comigo por emitir um parecer contrário ao seu posicionamento ou é um condômino que me olha torto por achar que eu advogo em nome do síndico, pessoa física. Não é nada disso, eu represento o todo! E o síndico também é assim! 

E representar o todo é difícil, muuuito difícil! Nem todo mundo nasceu pra isso! 

Olha, para você ser síndico hoje é preciso ser quase um super-herói com superpoderes, além de ser onipresente da garagem à cobertura! Para ser síndico, você precisa ter noção de quase todas as profissões do planeta (exagerada!). Mas é verdade! Advogado, contador, bombeiro, administrador, mediador e até legislador! 

Claro que hoje em dia, o serviço terceirizado ajuda bastante na gestão, mas quem dá a “cara a tapa” é o síndico! 

Então gente, vamos ter paciência com esse profissional, que muitas vezes tá ali precisando também de um apoio, de uma compreensão ou até mesmo de uma sugestão. 

Você têm problemas com o síndico do seu condomínio? Procure as vias adequadas para reaver seus direitos ou fazer cumprir os deveres daquele gestor, mas não xingue ou brigue. 

Esses desgastes síndico x condômino ou mesmo condômino x condômino, só trazem mal estar e confusão. A forma como se fala é, muitas vezes, a causa que gera todo esse conflito. 

E agora é que vem! Nos últimos anos têm aumentado de forma significativa as ações judiciais de danos morais de síndicos em desfavor de condôminos, justamente por essa falta de tato ao se processar as palavras. O contrário também é verdadeiro! 

É hora de ser gentil! 

Obrigada! 

Dra. Isabella Pantoja OAB/DF 24.805 Diretora Jurídica da ABRASSP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Melhores da semana