sábado, 20 de maio de 2017

Senador Hélio José tem celular clonado e criminoso pede dinheiro ‘emprestado’ em redes sociais

Sem desconfiar do pedido ‘inusitado’ assessora cai no golpe e perde R$ 2 mil

Na noite desta sexta-feira (19), o senador Hélio José (PMDB-DF) teve o celular clonado por criminosos que, imediatamente, passou a pedir, por meio de mensagens, em grupos do aplicativo Whatsapp, dinheiro emprestado, se passando pelo Parlamentar. Desavisada, uma assessora de Hélio José transferiu R$ 2 mil para ‘tentar socorrer o senador, supostamente com um contratempo, em outro país. Ao tomar conhecimento do golpe, a colaboradora recorreu à delegacia de polícia para registrar ocorrência.

Para aplicar o golpe, os criminosos, se passam pelo senador, afirmam estar no Panamá, com um contratempo e indicam contas correntes, no Banco do Brasil, para que seja realizado depósito, a título de empréstimo para que o parlamentar possa resolver um contratempo naquele país.



Parlatino
Hélio José, o senador, está no Panamá, em missão oficial, onde se reune, desde a última quinta-feira (18) com membros do Parlamento Latino Americano (Parlatino) para discutir, entre outros assuntos, a Lei Marco de Integração Energética das Américas e o aproveitamento energético dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU), por meio da pirólise – tipo de reação de decomposição ou análise, em que uma substância é decomposta em outras, pela ação do calor do fogo –, que produz energia.

Golpe
No aplicativo Whatsapp, o criminoso que se passou por Hélio José questionou em um grupo de amigos do parlamentar, se alguém, utilizava o aplicativo do Banco do Brasil. Algumas pessoas confirmaram a utilização do recurso. Dessa forma, o interlocutor foi acionado em conversa privada onde o empréstimo foi solicitado, mesmo se a conta corrente fosse de outro banco.

A assessora do senador, Nelita Sousa Matos, não desconfiou do caso e transferiu R$ 2 mil para uma conta indicada pelo criminoso. Porém, ao ser alertada, posteriormente, em um grupo, se tratar de um golpe, não restou outro caminho, senão, recorrer à polícia para registrar um Boletim de Ocorrência. Já na delegacia, preocupada, Nelita tentou estornar a transferência, porém, sem sucesso. “A ouvidoria do Banco do Brasil, só funciona, em dias de expediente, em horário comercial.”, desabafou.

Após cair no golpe, ao tentar rastrear a agência onde o dinheiro foi depositado, foi possível constatar que se trata de uma agência situada em São Luiz, capital do estado de Maranhão.



Criminoso e topetudo
Em um grupo de uso, específico de membros do gabinete do parlamentar, o criminoso, ao perceber que a farsa foi descoberta, interpelado pelo senador – que interagia com o grupo por meio da linha corporativa -, começou a mandar mensagens e discutir com Hélio José.






Denuncie
Ao tomar conhecimento do golpe aplicado por criminosos, por meio da linha de celular corporativa, Hélio José condenou a ação e solicitou à assessoria que as Polícias Legislativa e Federal fossem acionadas para investigar o caso.

O parlamentar também alertou que ignorem quaisquer pedidos dessa natureza, em nome do senador e, se alguém porventura tiver caído no golpe, que registre ocorrência junto a Polícia Civil do DF ou na Polícia Judiciária, nos respectivos estados.

Por KLEBER KARPOV do portal Política Distrital.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Melhores da semana