Theme Layout

Theme Translation

Trending Posts Display

Home Layout Display

Posts Title Display

404

Página não encontrada

Início

Após duas semanas de greve ilegal, professores de Novo Gama terão que retomar as aulas.

Após implementação da Jornada Ampliada as notas do IDEB caíram e munícipio já esteve em última posição entre os 12 munícipios goianos entre 100 e 200 mil habitantes – Foto: Reprodução

A Jornada Ampliada permitia que os professores trabalhassem somente no período da tarde ou de manhã, ficando com o contra turno livre e fora de sala de aula. A jornada ampliada desobriga os professores a cumprir às 40 horas em sala de aula, tornando necessária a contratação de novos professores para ocupar o tempo restante. O fim da jornada ampliada não significa aumento de carga horária dos professores, pelo contrário, a lei nacional do magistério diz que o professor tem que cumprir 40 horas de trabalho, sendo 26 horas em sala de aula e 14 horas fora de sala, preparando suas aulas, ou seja, com a jornada ampliada o professor não cumpria sua carga horária completa.  Além disso, a educação não foi beneficiada, em mais de cinco anos de Jornada Ampliada a nota do IDEB (Índice de Desenvolvimento de Educação Básica) de Novo Gama não apresentou melhoras e neste período já esteve na última posição do ranking de notas entre os municípios de Goiás com até 200.000 habitantes. O programa não cumpriu com o que prometia. Mesmo assim, o Sinpro-NG (Sindicato dos Professores de Novo Gama) declarou greve geral dos professores da cidade.
Hoje o cenário atual do Brasil é de diminuição de benefícios e regalias e quer eliminar os privilégios governo durante toda a sua gestão garantiu um reajuste salarial de 12,76% dos professores, carga horária alinhada com o que manda a lei nacional do magistério, garantindo 26 horas semanais em sala de aula e 14 horas semanais para o preparo de aulas e coordenação, desta forma o município cumpre com o que manda a lei. Após duas semanas com as escolas do município paradas e os alunos sem aula, a Justiça determinou judicialmente a ilegalidade da greve, obrigando os professores a voltarem às salas de aula, fixando multa de até 150.000 reais para o sindicato.
Acusados de usar a greve como uma manobra política para desmoralizar o governo da atual prefeita, Sonia Chaves, o sindicato teve seus planos arruinados graças à eficácia da justiça. Visto que tanto o salário quanto o horário de trabalho dos professore permaneceram como eram antes da Jornada Ampliada, consequentemente não há prejuízo nem para o estudante, que deve ser sempre a prioridade dos profissionais da educação e do governo, nem para os próprios professores.  A única coisa prejudicando a educação de Novo Gama é o próprio sindicato.


Leave A Reply

Blog do Paulo Roberto Melo

[name=Blog do Paulo Melo] [img=https://2.bp.blogspot.com/-SMQa2r91n1w/WxcuM5dFiAI/AAAAAAAAHbE/-xMkvHecaMMxZr2u27V4lWwHMKY6IgyqgCK4BGAYYCw/s0/BLOG-DO-PAULO-MELO-ELEI%25C3%2587OES-2018.png] [description=Sou formado em Gestão Pública pela UCDB e Gestão Empresarial na UNIPLAN, já cursei Ciência Política na UDF, trancando no 3° período. Também cursei Ciências Contábeis na UPIS.Tenho pos graduação em Gerenciamento de Projetos pela Uniandrade e MBA em Marketing pela FGV..] (facebook=Facebook.com) (twitter=Twitter.com) (instagram=Instagram.com) (bloglovin=Blogvin.com) (pinterest=Pinterest.com) (tumblr=Tumblr.com)