domingo, 9 de abril de 2017

As horas nos coletivos são aliadas dos amantes de literatura e dos estudos

O tempo dentro de ônibus e de metrô do DF rende aos usuários momentos de prazer e aprendizado na companhia dos livros

Ao entrar nos ônibus e no metrô do Distrito Federal, com frequência o passageiro se depara com alguém lendo. Poder ser um livro ou material didático. A ideia é aproveitar o tempo. Para isso, tem até quem use a espera nas filas do transporte público.

Uma das adeptas da leitura em deslocamento é a operadora de caixa Marilena Bessa, 31 anos. “A vida tá muito corrida, então, essa foi a forma que eu encontrei de aproveitar o tempo que passo no ônibus ou no metrô’’. Entre os leitores é possível notar predominância de jovens. Uma delas é a estudante Eva Mende, 18. “A gente gasta muito tempo dentro de ônibus, então, tem que aproveitar esse tempo para buscar mais conhecimento”.

Por outro lado, há também aqueles que não cultivam o hábito, pois não se sentem bem ao lerem dentro de veículos em movimento. Alguns sentem tonturas ou náuseas. Mas há também casos excepcionais, como o da servidora pública Shirley Cedro Ramos, 39: “Eu tenho problema em ler dentro de ônibus, ou em qualquer transporte em movimento. Sinto tontura, enjoo. Mas no metrô eu não sinto nada. Não sei se pelo período que passo ali ser menor, ou porque ele balança menos”.

Alguns passageiros iniciam a leitura enquanto aguardam nas filas

Já para o farmacêutico Rafael Macêdo, além do aproveitamento do tempo, a leitura por si já é muito agradável. Ele também se sente mais calmo e se desconecta das coisas ao redor. “É um hábito que ajuda a nos deixar mais tranquilos, alivia o estresse um pouquinho mais e acaba fazendo também com que a gente evite ficar vendo tanta coisa. Às vezes tem gente no metrô que vem falando um monte de bobagem”.

Incentivo a leitura

No DF, uma empresa de transporte também incentiva a leitura. O projeto Cultura no Ônibus, criado em 2015 pela Piracicabana, disponibiliza aos passageiros livros que podem ser lidos durante o percurso ou levados pra casa. Depois, basta devolver a publicação em qualquer coletivo da empresa.

Atualmente, o projeto está presente nos 525 ônibus da viação que circulam por Sobradinho, Planaltina, Plano Piloto, Varjão e Estrutural.

Além de livros de ficção, os leitores do transporte público também dedicam o tempo aos 
didáticos

Além das estantes dentro dos ônibus, conta ainda com Espaço Cultural na Rodoviária do Plano Piloto, plataforma inferior, e na Rodoviária de Sobradinho. A intenção é disseminar conhecimentos. O Cultura no Ônibus conta com a ajuda de voluntários. Eles são colaboradores Piracicabana, como cobradores, motoristas, despachantes e fiscais. Os passageiros também podem fazer doações de livros nos próprios ônibus. Conheça o projeto: http://www.culturanoonibus.com.br/.

Outra iniciativa de incentivo à leitura é o projeto Parada Cultura, da ONG T-Bone, que teve início em 2007 nas paradas da W3 norte. Assim como no Cultura no Ônibus, os leitores podem pegar e devolver os livros em qualquer parada onde a iniciativa esteja presente.

Por Izael pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Melhores da semana