terça-feira, 17 de outubro de 2017

Incapaz de dirigir uma reunião de condomínio, gaga e confusa, Cármen Lúcia não devia ter assumido o grave ônus de presidir STF

Se as medidas cautelares incomodarem os parlamentares, as casas legislativas decidirão se podem ser aplicadas

O jornalista José Nêumanne Pinto foi duro com a presidente do STF, Carmen Lucia. Responsável por desempatar o julgamento, que estava em 5 a 5, a ministra se confundiu, gaguejou, tentou dizer que concordava com o relator e foi desmentida, e finalmente decidiu que o STF só pode impor medidas cautelares a parlamentares se isso não atrapalhar o exercício de seus mandatos. Se as medidas cautelares incomodarem os parlamentares, as casas legislativas decidirão se podem ser aplicadas. Nêumanne criticou a presidente do STF: "Incapaz de dirigir uma reunião de condomínio, gaga e confusa, Cármen Lúcia não devia ter assumido o grave ônus de presidir STF nesta crise". 

Veja mais alguns comentários de José Nêumanne Pinto:

Carmen Lúcia deixou de ser juíza e, como política fraca e inábil, entregou o Judiciário ao controle do Senado cheio de bandidos e suspeitos.

Cármen Lúcia entregou presidência do STF a Aécio, Renan e Eunício. Não foi digna de dar voto de Minerva, que era deusa da sabedoria.

STF manteve tradição ao punir cachorro morto (Delcídio e Cunha), mas faz rapapé para donos de porcos (Aécio e Renan). Balança de velhacos!

Cármen Lúcia trocou presidência do STF pelo emprego de babá do zumbi Aecim. E sepultou sua biografia como as mulheres de faraó no Egito.

Lei Cármen Lúcia: congressista rouba, é investigado, mas mantém mandato, porque este pertence ao eleitor roubado. Eleitor paga pato furtado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Melhores da semana