Theme Layout

Theme Translation

Trending Posts Display

Home Layout Display

Posts Title Display



404

Página não encontrada

Início

Mário Fernandes*


Colaborar ou compartilhar experiências e discutir temas relevantes para as mais diversas áreas do serviço público sempre foi hábito dentro das associações de municípios. A parceria entre o Instituto Positivo e a Associação dos Municípios da Grande Florianópolis (Granfpolis), em 2015, para implantação do Arranjo de Desenvolvimento da Educação (ADE) Granfpolis evidenciou ainda mais essa prática.  

Trabalhar em regime de colaboração, para nós, tem sentido ampliado, pois além de compartilhar e refletir sobre temas pertinentes à Educação, planejamos e realizamos várias ações em conjunto, tais como formação e ações de melhoria da alfabetização, distorção idade-série, entre muitas outras.

Em 2020, este movimento possibilitou aos municípios pertencentes ao ADE a adaptação das redes ao sistema não presencial, com estratégias que pudessem garantir aos estudantes manter o contato com a escola e minimizar os prejuízos na aprendizagem.

Este ano, com a obrigatoriedade do retorno ao regime presencial, as redes tiveram que, novamente, fazer estudos e planejamentos para o retorno, ao mesmo tempo em que mantiveram as atividades não presenciais aos estudantes cujas famílias assim desejam.

Fomos entendendo que voltar de forma segura não significa somente criar ações e estratégias para proteção da saúde física das pessoas, mas também cuidar da saúde emocional. Assim surgiu o Guia de Orientação, Desenvolvimento de Estratégias de Saúde Mental e Atenção Psicossocial em tempos, e para além, da pandemia de Covid-19. Esse material foi produzido de forma colaborativa, entre o ADE Granfpolis, o Colegiado de Gestão em Educação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (CoGemfri) e o Instituto Positivo, com participação de gestores educacionais, coordenadores pedagógicos, psicólogos e assistentes sociais. O Guia discorre sobre saúde e sofrimento mental, acolhimento, escuta ativa, mediações de conflito, competências socioemocionais, entre outros assuntos.

Os cenários de 2020 e 2021 acrescentaram mais complexidade à atividade de educar. Para que tudo acontecesse da forma mais eficiente possível, realizou-se de forma colaborativa formação e empoderamento de lideranças, trazendo subsídios para que cada gestor municipal pudesse tomar decisões e compreender como sua liderança é importante para impulsionar a gestão educacional.

E foi com este rol de conhecimentos gerados com a colaboração, somados aos produzidos por cada rede, que os municípios planejaram seus retornos. Alguns voltaram em fevereiro, outros em março, cada um no seu tempo e, hoje, 100% deles estão com atividades presenciais para as famílias que se sentem seguras em encaminhar os estudantes à escola e, felizmente, sem problemas graves quanto à saúde de estudantes e profissionais.

Quando refletimos sobre as ações que o ADE Granfpolis promoveu durante este período de pandemia é que percebemos quantas pessoas e instituições participaram da construção de soluções. Por meio de reuniões virtuais foi possível compartilhar as particularidades de cada município e socializar experiências; ouvir especialistas e órgãos de controle; e permitir que cada rede pudesse definir qual a melhor estratégia de atuação nas atividades não presenciais e para um retorno seguro às aulas presenciais. Com isso, pudemos perceber como colaborar é mágico, incrível e capaz de tornar as tarefas mais leves e menos angustiante.

Precisamos, como gestores da Educação e responsáveis pela mais importante área capaz de mudar comportamentos sociais, incentivar mais a colaboração em nossas redes. Devemos motivar a colaboração entre gestores, professores e estudantes, tornando esta uma prática habitual no trabalho educacional, afetando no futuro, quem sabe, a forma de vida que levamos, maximizando recursos e errando menos.

 

*Mário Fernandes, secretário municipal de Educação de Águas Mornas e líder do ADE Granfpolis.

Leave A Reply

DANNTEC ENGENHARIA