A educação como caminho para desmistificar o Agro

Por: Isabel Araujo 



O agronegócio, atualmente, é o principal pilar da economia brasileira, além de fornecer centenas de matérias-primas às indústrias e de levar o alimento para as mesas do Brasil e do mundo. Mesmo assim, o setor ainda enfrenta desafios vindos da falta de conhecimento da população sobre o Agro real, aquele feito por milhares de brasileiros dia a dia, que enfrentam desafios econômicos, climáticos, escassez de suprimentos, volatilidade de mercado e, principalmente, fazendo a coisa certa e preservando o meio ambiente.

Esse Agro real que preserva e alimenta não é pauta dos jornais, revistas, portais e canais de televisão com as maiores audiências no País. Mesmo que os veículos especializados informem de forma correta, a comunicação ainda é limitada ao próprio público do Agro, que já conhece o setor e seu modus operandi.

Então, como podemos levar conhecimento sobre o agronegócio para a população? A resposta é simples. Não é fácil, mas é simples. Um dos caminhos para fomentar informações reais sobre o agronegócio pode estar na escola, inserindo o Agro na rotina escolar como parte de disciplinas pertinentes, palestras, visitas ao campo, sempre com muito respeito à grade curricular e às métricas de ensino de cada estado.

Precisamos falar sobre o agronegócio nas escolas

As crianças sabem de onde vêm os alimentos que consomem? As roupas que vestem? Sabem sobre o que ocorre no campo? De onde sai o alimento comprado no supermercado?

A verdade é que existe um abismo entre o que ocorre da porteira para dentro e as grandes cidades, onde reside a maior parte da população brasileira e consumidora. Esse distanciamento da população sobre o que é feito no campo gera as dúvidas e, o desconhecimento, leva ao preconceito e às críticas sem qualquer embasamento técnico-científico.

Nosso Agro é referência no mundo em termos de produtividade, exportação de alimentos, tecnologias e ações sustentáveis. Além disso, as áreas dedicadas à preservação da vegetação nativa pelo mundo rural brasileiro somam 282,8 milhões de hectares e representam 33,2% do território brasileiro. Os números são de um estudo feito pela Embrapa Territorial, com o geoprocessamento dos dados do Censo Agropecuário 2017 e do Sistema Nacional do Cadastro Ambiental Rural (SiCAR), estes últimos atualizados até fevereiro de 2021.

A educação surge como o caminho para levar conhecimento para uma nova geração de brasileirinhos, que podem a partir da didática aprendida na escola, fomentar esse conhecimento em casa, entre os colegas e amigos, e na sociedade em que vivem.

Existem muitos temas que podem ser trabalhados em conjunto com diversas disciplinas, da alfabetização ao Ensino Médio, como a produção de alimentos, uso de robôs e drones, agricultura digital, agricultura circular, nanotecnologia, melhoramento genético de plantas e animais, inovações que todos precisam conhecer, pois apontam uma nova jornada do Agro tecnológico e sustentável no desenvolvimento do País.

As possibilidades para ensinar e aprender são muitas: podemos falar de indústrias de suplementos, máquinas, implementos, desenvolvimento de tecnologia, softwares, alta precisão, genética, adubos, medicamentos, vacinas, medicina veterinária, administração, agronomia, zootecnia, pesquisa, compras, vendas, sanidade, armazenamento, distribuição e processamento, logística, mercados nacional e internacional, transporte, portos, e muito mais. “Não sabia? Agora tá sabendo!”

E, em momento algum, podemos nos esquecer de quem fez nosso país chegar à condição de garantir a segurança alimentar do nosso povo: os produtores rurais. Homens e mulheres que dedicam suas vidas, trabalham de sol a sol, todos os dias, para oferecer tudo aquilo que nos alimenta e torna a nossa vida melhor.

São infinitas as chances de conhecimento que podem ajudar a desmistificar o ideal enraizado na sociedade de que o agronegócio é o vilão. Ensinando, com cuidado e carinho, a trajetória do brilhante Agro brasileiro chegaremos mais longe, pois formaremos uma nova geração de jovens conscientes que admiram o setor e, quem sabe, engajados em seu desenvolvimento.

Neste sentido, nós, do Movimento Todos a Uma Só Voz, temos encabeçado diversas ações que compartilham informações sobre o Agro sob o aspecto da educação. O “O Reino do Agrus” é um bom exemplo.

Trata-se de um audiobook que narra o cotidiano dos personagens desse reino e as suas atividades para ajudar o povo com soluções que são originadas do Agro. A partir das narrativas, os personagens fomentam questionamentos do setor – e os seus desafios e perspectivas – de uma maneira saudável, lúdica e atrativa. Por meio de estórias, o agronegócio ganha protagonismo no audiobook e, desta forma, dialoga não só com as crianças, mas também com os pais, educadores, consumidores comuns.

No primeiro capítulo, o audiobook introduziu a estória e contou sobre o estranho sonho do Rei Amós, um líder responsável e muito cuidadoso com seu povo. O segundo capítulo gira em torno da sustentabilidade e debate como preservar os recursos naturais do Reino, os cuidados com o meio ambiente e maneiras sustentáveis de boas práticas ambientais e de bem-estar animal. O terceiro capítulo, ainda em fase de produção, pretende homenagear os profissionais da Educação. Além disso, a ideia é também motivar os professores a ajudarem a levar informações corretas sobre o Agro para a sala de aula.

Para este terceiro episódio, a personagem principal escolhida pelo público, por meio de votação online, para ser a inspiração, foi a educadora Branca Alves de Lima (1911-2001). A professora foi a criadora da Cartilha Suave, método de ensino visionário que, em 50 anos, alfabetizou mais de 40 milhões de brasileiros. Os episódios estão disponíveis no link: https://todosaumasovoz.com.br/site/o-reino-de-agrus

Ainda sobre a temática de informar sobre o Agro de maneira informativa e educativa, o Movimento Todos a Uma Só Voz está produzindo a “Cartilha do ABC do Agro”. Por meio das letras do alfabeto, a criança tem contato com as informações sobre o Agro, produtores rurais e produtos oriundos do setor como forma de mostrar a sua importância em nossas vidas. O objetivo é despertar, desde cedo, a admiração dos estudantes pelo Agro e produtores.

Outra iniciativa é o compêndio intitulado “O Agro para Estudantes”. Direcionado a professores e pais de todo o Brasil, é fruto da parceria entre o Movimento Todos a Uma Só Voz e a Federação Nacional das Escolas Particulares (FENEP). O material lista em suas páginas 10 temas do agronegócio para tornar o ensino mais atrativo sobre o assunto. O compêndio tem, como base de produção, conteúdos desenvolvidos por dois importantes nomes do setor, os professores Xico Graziano e Marcos Fava Neves e leva às escolas do país temas de relevância, que ajudam a explicar a atuação e a importância do setor para as novas gerações.

Os temas do compêndio são: cooperativismo no Agro, aproveitamento dos alimentos, matas ciliares, práticas inovadoras que respeitam os animais, formas alternativas de produção de comida, bioeconomia, agricultura de precisão, melhoramento genético, agro colaborativo e atividades relevantes como apicultura, silvicultura e florestas plantadas, piscicultura e carcinicultura (produção de camarões), floricultura e plantas ornamentais.

Para nós, o futuro pode ser brilhante, e tudo começa com a educação.

Isabel Araujo - Coordenadora do Movimento Todos a Uma Só Voz

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem