Starrett realiza série de ações sustentáveis e reforça dinâmica ESG para impactar mercado, meio ambiente e sociedade

Indústria troca embalagens de plástico das suas linhas de produtos, pratica a logística reversa e cria cultura corporativa com base nos pilares ESG


 

No ambiente corporativo, o termo ESG, sigla de Environmental, Social and Corporate Governance, sempre foi muito atrelado a questões ambientais. No entanto, a dinâmica ESG aborda estratégias que envolvem também qualidade de vida da comunidade onde as empresas estão inseridas, atitudes transparentes de governança, além das ações de preservação do meio ambiente.

Mais do que um diferencial estratégico, a prática ESG tem sido vista como uma nova mentalidade imprescindível de gestão corporativa. A opinião é do Diretor Industrial da Starrett Cláudio Luis Guarnieri.

Neste sentido, a Starrett, uma das maiores fabricantes de serras, ferramentas e instrumentos de medição do mundo, tem realizado uma série de ações sustentáveis que reforçam a dinâmica ESG para impactar o mercado, meio ambiente e comunidade.

Substituição de embalagens por materiais ecológicos

No início deste ano, a Starrett iniciou a substituição do plástico em suas embalagens por materiais ecológicos em toda a sua linha de produtos. A troca foi implantada primeiramente com a Serra Manual, o que reduzirá em cerca de 25% as emissões de CO² durante o transporte e eliminará o consumo de 7,9 toneladas de plástico ao ano.

Neste segundo semestre, segundo informações de Guarnieri, as embalagens da linha de Serra Copo Fast Cut começaram a ser trocadas. “De acordo com estudos de ganhos anuais, com esta nova alteração, é prevista a redução média de 6,37 toneladas de plástico ao ano e diminuição média de 35% de redução de emissões de CO² no transporte”, afirma.

O diretor adianta, explicando que já está em fase de desenvolvimento a nova embalagem da linha de Serra Copo Deep Cut. “Somando as duas linhas, a expectativa é que a Starrett deixará de gerar 8,4 toneladas de plástico ao ano”, estima.

Esta iniciativa da Starrett está alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Os ODS são uma agenda mundial adotada durante a Cúpula das Nações Unidas (ONU) sobre o Desenvolvimento Sustentável, em setembro de 2015, composta por 17 objetivos e 169 metas a serem atingidas até 2030.

Com a substituição das embalagens, a Starrett contribui com a aplicação de dois objetivos: 9 (Indústria, Inovação e Infraestrutura) e o 12 (Consumo e Produção Responsáveis).

Alinhamento às exigências legais

Estar alinhada com as obrigações legais é mais do que um compromisso, na visão do Diretor de RH/TI da Starrett Francisco Bertagnoli, que está à frente da logística reversa da empresa.

Ele explica que, há três anos, a Starrett colocou em prática a logística reversa instituída pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Trata-se de um conjunto de ações voltadas a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial para a destinação final ambientalmente adequada ou reaproveitamento.

“Com a lei, fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes dos produtos e embalagens definidos pela legislação são obrigados a estruturar e implementar sistemas de logística reversa mediante retorno após o uso pelo consumidor, de forma independente do serviço público de limpeza urbana”, explica Bertagnoli.

Desta forma, a Starrett mantém uma parceria que faz a “ponte” com cooperativas de reciclagem em todo o Brasil. No ano passado, o diretor informa que foram reciclados 169 toneladas de materiais.

Em Itu, cidade onde a indústria está instalada, a empresa mantém parceria com a Cooperativa de Materiais Recicláveis de Itu (COMAREI) desde 2014. A COMAREI realiza três coletas por semana na empresa, gerando mais de 2 mil quilos por mês de resíduos recicláveis.

1ª Semana de Sustentabilidade

Diante de todas essas iniciativas, a Starrett realizou a 1ª Semana de Sustentabilidade que teve entre os seus principais objetivos o de estimular a cultura corporativa sustentável, reforçando com os colaboradores o significado dos pilares ESG, além de conscientizar que atitudes sustentáveis ultrapassam os limites da empresa.

A Starrett mantém o Comitê de Sustentabilidade denominado EcoStarr Team que tem, entre vários objetivos, o de assessorar a alta liderança da empresa nos aspectos relacionados à sustentabilidade e estimular inovação nos negócios e operações com foco em ações sustentáveis.

“A criação desse Comitê é importante porque, além de tratar o tema sustentabilidade no ambiente corporativo, o trabalho do EcoStarr Team é também o de ampliar essa cultura para todas as ações no dia a dia, tanto no trabalho, quanto em casa. A primeira edição da Semana da Sustentabilidade é o início desta jornada de aprendizado na qual todos estaremos, de um jeito ou de outro, envolvidos. Temos várias iniciativas e projetos que o nosso Comitê está liderando para que todos consigam ser mais sustentáveis nas ações diárias”, aponta o Presidente da Starrett Brasil Christian Arntsen.

Sobre a Starrett

A Starrett, uma das maiores fabricantes de serras, ferramentas e instrumentos de medição do mundo, teve início nos Estados Unidos, em 1880, quando Laroy S. Starrett inventou o esquadro combinado. No Brasil suas operações começaram em 1956. Hoje, a Starrett conta com fábricas nos Estados Unidos, China e em Itu, no Brasil. A empresa produz mais de cinco mil produtos, tais como lâminas de serras de fita para corte de metais, madeira e carne, ferramentas de precisão e instrumentos de medição. Os produtos Starrett são vendidos em mais de 100 países por meio de uma rede de distribuidores atendendo a uma variada gama de segmentos que vai desde ferramentas para a indústria automobilística, aviação, marinha, até equipamentos agrícolas, ferramentas para trabalhos manuais (faça você mesmo!) para construtores, carpinteiros, encanadores, eletricistas etc.

Mais informações, acesse: www.starrett.com.br

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem