Theme Layout

Theme Translation

Trending Posts Display

Home Layout Display

Posts Title Display







IESB

404

Página não encontrada

Início
[post_ad]
A capacitação foi voltada para os profissionais da enfermagem e fisioterapia

A parada cardiorrespiratória continua sendo uma das principais emergências cardiovasculares de grande prevalência e mortalidade ao redor do planeta. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), as doenças cardiovasculares causaram mais de 198 mil óbitos entre os brasileiros no ano de 2021. Estas doenças incluem as isquêmicas do coração, que são as principais causas de parada cardiorrespiratória (PCR).

 

Para reforçar protocolos e diretrizes sobre esses casos, o Hospital Estadual do Centro-Norte Goiano (HCN) realizou, no último final de semana, um treinamento sobre Parada e Reanimação Cardiorrespiratória. A capacitação foi direcionada para as equipes de enfermagem e fisioterapia do hospital.

 

Durante a iniciativa, diversos protocolos de ação foram trabalhados com os profissionais com o objetivo de reforçar o reconhecimento e o tratamento precoce de um paciente em parada cardiorrespiratória. O treinamento foi coordenado pela gerente de enfermagem do HCN, Jaqueline Leão, com o apoio da equipe de enfermagem do Trimed, especializada em transporte de pacientes críticos. Os profissionais trabalharam o gerenciamento de vias áreas, como realizar a avaliação primária e secundária de paciente em estado crítico e como realizar manobras em casos de parada respiratória em pacientes adultos.

 

A capacitação realizada no auditório do HCN ainda contou com treinamento sobre obstrução de vias aéreas por um corpo estranho, ou seja, quando há a inserção de um objeto nas vias aéreas de um paciente, e amputação traumática, quando existe a necessidade de amputar um membro do corpo com urgência. A capacitação contou com o uso de manequins de treinamento em primeiros socorros, além de atividades em grupo e demonstrações para a equipe presente.

 

Treinamento PCR

 

A reversão de uma parada cardíaca depende de fatores como: condições clínicas do paciente antes da PCR, as causas que determinaram a parada cardíaca e o uso correto das manobras aplicadas de reanimação. Por isso, é importante a capacitação constante da equipe e o desenvolvimento de ações de planejamento e execução durante o atendimento desse tipo de paciente.

 

Com equipe qualificada, é possível iniciar os primeiros atendimentos e aumentar as chances de sobrevivência. A importância de obter conhecimentos em primeiros socorros torna-se ainda maior e fundamental em equipes que lidam diretamente com os pacientes, como enfermagem e fisioterapia.

 

Assessoria de Comunicação

Ana Luiza Tanno

Leave A Reply

DANNTEC ENGENHARIA