Theme Layout

Theme Translation

Trending Posts Display

Home Layout Display

Posts Title Display







IESB

404

Página não encontrada

Início

Produção histórica foi indicada durante reunião da Câmara Setorial do grão, realizada em Capão Bonito (SP)



A produção de trigo em território paulista chegou às 400 mil toneladas em 2022, volume recorde para o estado. Esse dado foi apurado durante a última reunião da Câmara Setorial do Trigo de São Paulo, realizada no dia 14 de setembro na Cooperativa Agrícola de Capão Bonito, em Capão Bonito (SP).

Na ocasião, o reporte das cooperativas e cerealistas paulistas apontou o maior volume de safra que o estado já produziu nos últimos anos, com o clima favorável em momentos cruciais para o desenvolvimento do trigo como um dos fatores que permitiu este resultado.

“Conseguimos atingir às expectativas da safra paulista de produção de 400 mil toneladas de trigo e ainda esperamos ampliar essa quantidade, com alguns dados de produtores, cooperativas e cerealistas que ainda não foram contabilizados. A qualidade do trigo Paulista vem se mantendo nos últimos anos, mesmos com intempéries em seu ciclo de produção, o que indica que estamos no caminho certo”, destaca o Presidente da Câmara Setorial do Trigo de São Paulo, Ruy Zanardi.

Qualidade elevada do trigo de SP

O volume recorde é uma notícia positiva para toda a cadeia do trigo no estado, considerando que, dessa forma, aumenta-se a disponibilidade de farinha de qualidade para setores como panificação, massas, biscoitos, pizzas etc. O Presidente do Sampapão (sigla que congrega o Sindicato, a Associação dos Industriais de Panificação e Confeitaria de São Paulo e o Instituto do Desenvolvimento de Panificação e Confeitaria de São Paulo), Rui Gonçalves, participou virtualmente da reunião e avaliou a condição do cereal paulista para o segmento.

“Com o tempo, a qualidade do trigo e da farinha cresceu consideravelmente no estado. Hoje, em São Paulo, temos boas farinhas e bom trigo, o que faz com que a panificação tenha o poder de produzir pães de excelente padrão, permitindo que os clientes observem a qualidade do cereal utilizado”, reforça Gonçalves.

Conjuntura nacional e internacional do trigo

A situação do cereal no Brasil e no mundo também foram temas de discussão durante a reunião da Câmara Setorial. A analista comercial de trigo, Karina Hofling, e o gestor da divisão trigo, Luciano Furlan, ambos profissionais da ADM do Brasil, trouxeram aos participantes e espectadores do evento um panorama dos cenários interno e externo da cultura.

“Estamos trabalhando com uma produção de 10 milhões de toneladas de trigo no Brasil. Acreditamos que as importações chegarão a seis milhões de toneladas, sendo que a maior parte deste volume vem da Argentina, e as vendas externas podem atingir três milhões de toneladas, mesmo com a limitação da janela de exportação”, explica Karina.

De acordo com Luciano Furlan, o clima tem sido um importante fator para determinar o volume e a qualidade das safras pelo mundo. “A Argentina chama a atenção pois se encontra em uma situação bastante diferente em relação ao ano passado. Em 2022, devido à seca, apenas 17% da produção apresenta condições boas ou excelentes. A Europa também enfrenta a estiagem, com volume de cereal menor do que o esperado. Já o Paquistão enfrentou inundações, afetando o trigo nos armazéns”, explica.

A reunião da Câmara Setorial do Trigo de São Paulo pode ser acompanhada na íntegra aqui.

Leave A Reply

DANNTEC ENGENHARIA