Theme Layout

Theme Translation

Trending Posts Display

Home Layout Display

Posts Title Display







IESB

404

Página não encontrada

Início

Paulo Roque é candidato à Câmara Federal por Brasília neste pleito de 2022 e traz uma história de vida, conquistas e um legado de 203 mil votos quando candidato ao Senado por Brasília em 2018. Seus planos de governo incluem a educação e qualificação de jovens para o mercado de trabalho, além das demandas urgentes de saúde, segurança e desenvolvimento econômico. O candidato também falou sobre seus planos para Águas Claras, RA do DF, que possui hoje um grande número de geradores de renda para a Capital, mas não possui o mínimo em serviços essenciais públicos.

TRAJETÓRIA

Paulo Roque é jornalista, advogado e professor universitário. É Doutor em Direito pelo Instituto Brasiliense de Direito Público – IDP, Mestre em Direito pela Universidade de Lisboa, e  especialista em Direito do Consumidor.

Em Brasília, criou raízes e edificou sua vida. Honestidade, família, empatia, solidariedade e gratidão são valores inegociáveis. Para ele, um homem público precisa ter a ética acima de tudo. A família, por sua vez, tem que ser regida por valores que a sedimentam e a protejam. Empatia, solidariedade e gratidão vêm da prática cristã e são valores básicos para aqueles que desejam um mundo melhor.

Sua vida, contudo, não foi fácil. Filho de Dona Laila e do pequeno agricultor Sr. Roque, Paulo Roque nasceu em Cajuri, pequena cidade da Zona da Mata, em Minas Gerais. Ele se mudou para Brasília aos 21 anos com a vontade de crescer, se desenvolver e realizar sonhos que, por muitas vezes, pareciam impossíveis de se concretizar. Foi repórter político do SBT e da TV Record, quando trabalhou sob o comando de Boris Casoy e cobriu a CPI do caso PC Farias.

Em seguida, formou-se em direito e passou a dar aulas no UNICEUB. Fez mestrado em Portugal, doutorado no conceituado IDP, tornando-se uma referência no direito do cidadão e do consumidor.

CONQUISTAS

O advogado e jornalista Paulo Roque fez sucesso com um programa diário de defesa do consumidor na CBN durante dez anos. O êxito se repetiu na Rádio JK, onde apresentou um programa em que defendia não só o consumidor, mas também o cidadão. Ali, ele informava seus ouvintes, desembaraçando questões judiciais e alertando como defender seus direitos. A orientação se fazia de forma transparente, usando sua condição de jornalista e seus conhecimentos jurídicos para esclarecer dúvidas.

O sucesso do programa foi tanto que até mesmo a opinião de Paulo Roque sobre outros temas era exigida por alguns ouvintes: “Professor, o senhor poderia falar também sobre família, religião e direitos fundamentais”, sugeriu uma senhora que acompanhava o programa na rádio JK. Nas suas redes sociais, outros seguidores aconselhavam: “Seria interessante contar a história do Congresso Nacional e como funciona o parlamento”.

Paulo Roque respondia e agradecia a todos.  Mineiro de fala mansa, Paulo Roque ingressou na galeria dos candidatos que aliam carisma e preparo intelectual.

PLANOS E METAS

Entre suas propostas, Paulo Roque pretende transformar o DF no “Vale do Silício do empreendedorismo”. Segundo ele, o Distrito Federal precisa deixar de ser a unidade da Federação voltada para concursos públicos e se tornar geradora de emprego e renda. “Hoje, de cada dez vagas ocupadas com oportunidade de trabalho, oito são do setor privado e apenas duas do setor público”, afirma ele, complementando que é preciso investir em startups e no jovem empreendedor.

Ele quer, uma vez deputado federal, tornar realidade a vocação do DF na era da informação: transformar a capital em  Cidade Digital. O futuro deputado federal, Paulo Roque, disse que a capital deve, através da educação, voltar-se para a formação de jovens empreendedores. Eles aprenderiam uma profissão já no ensino médio.

“Uma primeira formação no ensino médio gera empregabilidade e renda ao jovem que, desde cedo, passa a ter uma profissão “, afirmou Paulo Roque.

Além de um ensino médio profissionalizante, Paulo Roque defende a adoção da educação integral no ensino fundamental, como preconiza o PNE (Plano Nacional de Educação) em sua meta de número 10 (oferecer, no mínimo, 25% (vinte e cinco por cento) das matrículas de educação de jovens e adultos, nos ensinos fundamental e médio, na forma integrada à educação profissional). O plano já foi aprovado pelo Congresso Nacional, mas até hoje ainda não foi colocado em prática.

Outra meta do PNE abrange as creches que tinha como objetivo, até 2016, universalizar a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta de educação infantil em creches de forma a atender, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) das crianças de até 3 (três) anos até o final da vigência do plano.

Para o pré-candidato do Novo, educação é uma pauta séria e prioritária. “É fundamental a construção de creches para que mães e pais possam trabalhar, certos de que seus filhos estão protegidos. Se conhece um país pela maneira com que trata as suas crianças. Como temos tratado as nossas?”, indaga Paulo Roque se referindo ao futuro da educação do país.

O CANDIDATO DE ÁGUAS CLARAS

Com uma população altamente qualificada e uma juventude empreendedora, Águas Claras poderia ter um protagonismo nesse processo.

Paulo Roque foi um dos candidatos mais votados por Águas Claras na última eleição para o Senado, em 2018, quando recebeu quase 203 mil votos, e assim decidiu tomar para si as reivindicações e principais demandas dos quase 200 mil moradores da Manhattan do Centro-Oeste, famosa pelos arranha-céus da cidade.

Paulo Roque conversou com moradores, comerciantes e influenciadores da cidade e protestou contra a falta de serviços públicos em uma das regiões que mais produz para a riqueza do Distrito Federal. A Região Administrativa, cartão postal do DF, não tem escola pública, UPA, centro de saúde, hospital público e delegacia de polícia.

Desde 2018, quando foi um dos mais votados da cosmopolita RA de Águas Claras, o advogado, professor e jornalista decidiu tomar para si as demandas da população. Ainda, segundo Paulo Roque, Águas Claras abriga diversos cidadãos formadores de opinião que sabem e lutam pelo que querem. Para ele, é inadmissível o descaso com que a cidade é tratada, principalmente, por ser um relevante centro de influência do Distrito Federal.

“Águas Claras me acolheu e acreditou em minhas propostas. Contará sempre comigo.”

A disputa à Câmara Federal, por Brasília, promete ser uma das mais acirradas do país, caso se confirme o leque de candidatos que se dispõe a concorrer. As articulações apontam para uma série de candidatos nem sempre preparados para a difícil missão de legislar.

FOCO NA MUDANÇA

Na capital do país, Paulo Roque desenvolveu características que carrega consigo: autonomia, liderança, veracidade, garra, persistência e resiliência. Aqui também desenvolveu uma identidade com o brasiliense e com todos os brasileiros que a adotaram.

 “Tenho uma vontade imensa de fazer muito por Brasília; de ajudar a desenvolver, criar empregos, diminuir a violência, melhorar a saúde, a educação, adotar o ensino integral, creches para crianças, enfim, devolver tudo que o Distrito Federal me concedeu como jornalista, advogado, professor e homem público”, disse o candidato.

Paulo Roque propõe uma candidatura que seja capaz de provocar uma mudança profunda no parlamento. A experiência com a advocacia e seus estudos no doutorado o capacita como um legislador de mão cheia.

NADA DE DEPUTADOS FEDERAIS E SENADORES COM PRIVILÉGIOS E MORDOMIAS

Se eleito, Paulo Roque pretende apresentar Projetos de Lei que façam a diferença.  Um deles, com esboço já redigido pelo candidato, acabaria com privilégios dos parlamentares.

Não faz sentido ver um parlamentar ter quarenta assessores, motorista à sua disposição, sendo que temos 50% dos brasileiros sem saneamento básico e 30% ganhando até um salário-mínimo mensal. Além disso, não faz o menor sentido o parlamentar ter plano de saúde, enquanto o trabalhador enfrenta hospitais lotados. Não podemos nos dar esse luxo, enquanto boa parte da população não tem o básico para sobreviver com dignidade”, afirma Paulo Roque.

E vai mais longe:

“Luto por mudança de foco. Foco na sociedade, nas pessoas. Foco em melhorar a vida das pessoas. Queremos um país e um Distrito Federal com mais oportunidades para todos. Queremos pilares eficientes na saúde, educação e segurança. Queremos o trabalho como gerador de riqueza, fortalecer o empreendedorismo, fazer uma Brasília com mais oportunidade para todos”, enfatiza Paulo Roque.

Confira a entrevista exclusiva à jornalista Silvana Scórsin


Leave A Reply

DANNTEC ENGENHARIA