Simone Tebet poderá conquistar a prefeitura de São Paulo em 2024!

A senadora Simone Tebet ( MDB), foi a mais aplaudida na Sala São Paulo, ao discursar e receber o Troféu Raça Negra no dia 21/11/2022 - Foto: Facebook divulgação


Texto escrito pelo jornalista Walter Brito

Tal qual ocorreu ontem, domingo, 18/12/2022, vencer é sempre estratégico e complexo. Falando da final da Copa do Mundo, quando a Argentina sagrou-se campeã, o Messi coroado como o melhor jogador do mundo e Mbappé saiu fortalecido aos 23 anos e preparado para permanecer no topo do futebol mundial por muito tempo, quiçá por mais três Copas e até tornar-se tricampeão pelo seu país como Pelé foi pelo Brasil. Claro, vencer e tornar-se protagonista de uma nação é para poucos e em qualquer setor: Na educação, no mundo da cultura, na administração pública e privada, no esporte ou no mundo espiritual, entre outros. Não precisa só ter sorte e acreditar que o destino se encarrega, Maktub!

Mandela - Creative Commons
Nelson Mandela é o símbolo de líder de sucesso no Planeta Terra. Ele esteve no Brasil pela primeira vez em 1991. Nesta ocasião participamos de uma homenagem a Madiba no Estado do Espírito Santo - Foto: Wikipedia commons


Obviamente é necessário um conjunto de fatores, entre os quais o preparo, muito trabalho, determinação, sabedoria, fé em Deus e acreditar que somos capazes. A partir daí é que surgem os grandes líderes em qualquer lugar do mundo como Gandhi, Nelson Mandela, Barack Obama, Emmanuel Macron, entre outros. Aqui no nosso Brasil, tal qual o jurista Ruy Barbosa, o escritor Jorge Amado, a escritora e guerreira Carolina Maria de Jesus, o sambista e compositor Cartola, o atleta do século Pelé, Irmã Dulce e Chico Xavier, o líder empresarial Antônio Ermírio de Moraes, o ex-presidente da Suprema Corte Joaquim Barbosa, os líderes políticos Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek de Oliveira, Lula da Silva, Brizola, Ulysses Guimarães, entre outros.

Lula e Janja assistiram à estreia do Brasil contra a            Sérvia na Copa do Mundo em casa, em São Paulo — Foto: Ricardo            Stuckert
Janja e Lula assistiram ao primeiro jogo da Seleção Brasileira no CCBB em Brasília. Esta semana o filho de dona Lindu decidirá o destino de Simone Tebet - Foto: Ricardo Stuckert


A eleição mais importante dos últimos 50 anos e mais acirrada de nossa história mostrou claro no dia 30/10/2022, que Luiz Inácio Lula da Silva é um líder inconteste e recebeu autorização do povo brasileiro para colocar o nosso país onde merecemos e entre as seis grandes potências do planeta. Que o presidente Lula lute efetivamente pela educação e oportunidades de trabalho igual para todos os segmentos sociais, todas as etnias e que favoreça as novas gerações. E mais, aos que já deram sua contribuição ao país é fundamental que tenham uma renda básica mínima para envelhecer com dignidade.

Na foto, a secretária da cultura de São Paulo, Aline Torres, a senadora Simone Tebet e este jornalista Walter Brito, durante o evento: " Troféu Raça Negra" na Sala São Paulo no dia 21 de novembro, por ocasião da Semana da Consciência Negra


Neste contexto é fundamental e premente a preparação de líderes para o futuro, independentemente de ter que ser da sigla do presidente que está no poder. Neste sentido, surgiu no debate da eleição presidencial o nome da senadora sul mato grossense Simone Tebet do MDB que obteve 5 milhões de votos para a Presidência da República, sem o apoio efetivo de seu partido, mas num momento em que nos últimos três anos enfrentamos a Pandemia da Covid-19, quando perdemos 692 mil irmãs e irmãos e ainda não acabou, sendo milhares de pessoas contaminadas e centenas perdem suas vidas diariamente em nosso país.

Vale lembrar que a mulher tornou-se a psicóloga da maioria das famílias enlutadas, pois o homem não tem a mesma força do sexo feminino no momento de perda repentina de um ente querido. Esta mesma mulher na alta pandemia, quando o seu companheiro perdeu o emprego, diminuiu efetivamente seus ganhos ou sua empresa faliu, foi ela quem ajudou a levar comida para casa, se reinventando como diarista, salgadeira, cabeleireira, manicure, cuidadora de idosos, enfermeira e outras funções no serviço público e na iniciativa privada.

Simone Tebet entrou pra valer na campanha de Lula da Silva. Segundo o cientista político Juvenil Coelho, o trio: Simone, Brizola e Vargas, foram os únicos que transferiram votos para presidente da República no Brasil - Foto: Ricardo Stuckert


Estas guerreiras seguraram firme nas mãos de seus parceiros e muitas vezes sozinhas mantiveram seus lares. Talvez por isso Simone como mãe de família e sensível com as questões sociais no Brasil tenha representado tão bem o protagonismo da mulher na campanha presidencial, principalmente a mulher negra, cuja etnia perdeu 70% dos que morreram na pandemia.

É importante ressaltar que só no Estado de São Paulo a senadora Simone Tebet obteve 1/3 de seus votos e boa parte nas favelas, onde o povo negro é maioria. A terceira colocada na disputa presidencial obteve no Estado de São Paulo 1.625.596, correspondentes a 6,34% dos votos de paulistas e paulistanos.

Na cidade de São Paulo foram 558.748 votos, o que corresponde a 8,11%. A senadora foi votada nos 645 municípios do Estado de São Paulo, sendo a votação mais expressiva na capital e a de menor expressão na cidade de nome Flora Rica, quando foi votada por 27 eleitores. No interior do Estado de São Paulo a sua votação variou entre 2% e 10,65%. Veja abaixo em ordem decrescente o percentual de Simone em 79 dos 645 municípios do interior paulista. Estes são municípios em que a ex-presidenciável obteve percentuais entre 10, 65% e 6%. Nos demais municípios não publicados, ela obteve entre 6% e 2%.

São os seguintes municípios:

1) Lagoinha - 10,65%,
2) Caetano do Sul - 9,42%,
3) Salesópolis - 8, 28%,
4) Quadra - 8%,
5) Santo André - 7,80%,
6) São Bento do Sapucaí - 7,80%,
7) Jundiaí - 7,64%,
8) Santos - 7,58,
9) Santo Antônio do Pinhal - 7,55%,
10) São Roque - 7,53%,
11) Mogi das Cruzes - 7,52%,
12) Santa Branca - 7,32%,
13) Cotia - 7,31%,
14) Jacareí - 7,22%,
15) Guaratinguetá - 7,16%,
16) Ilha Solteira - 7, 08%,
17) Atibaia - 7,04%,
18) Ibiúna - 7,01%,
19) Piracaia - 7,01%,
20) São Bernardo do Campo - 7%,
21) Botucatu - 6,98%,
22) Osasco - 6,97%,
23) Monte Alegre do Sul - 6,94,
24) Silveiras - 6,92%,
25) Vargem Grande Paulista - 6,92%,
26) Ribeirão Pires - 6,91%,
27) Igaratá - 6,87%,
28) São Lourenço da Serra - 6,85%,
29) Aparecida - 6,84%,
30) São Carlos - 6,81%,
31) Valinhos - 6,81%,
32) Campos do Jordão - 6,78%,
33) Mandari - 6,77%,
34) Vinhedo - 6,68%,
35) Biritiba Mirim - 6,67%,
36) São José dos Campos - 6,65%,
37) São Miguel Arcanjo - 6,61%,
38) Alumínio - 6,61%,
39) Taboão da Serra - 6,57%,
40) Ribeirão Grande - 6,56%,
41) Redenção da Serra -6, 56%,
42) Indaiatuba - 6,55%,
43) Itatiba, 6,55%,
44) Nova Canaã Paulista - 6,52%,
45) Moções - 6, 51%,
46) Mairinquete - 6,50%,
47) Tambaú - 6,49%,
48) Águas da Prata - 6,49%,
49) Tremembé -6, 45%,
50) Suzano - 6,41%,
51) Águas de São Pedro - 6,41%,
52) Descalvado - 6,39%,
53) Taubaté - 6, 39%,
54) Santo Antônio - 6,39%,
55) Jardim - 6,37%,
56) Lorena - 6,37%,
57) Monte Alegre do Sul - 6,32%,
58) Carolina - 6,30,
59) Porto Ferreira - 6,30%,
60) Parnaíba - 6,28%,
61) Espírito Santo do Espinhal - 6,26%,
62) Altinópolis - 6,25%,
63) Poá - 6,23%,
64) Barueri - 6,18%,
65) Carambataí - 6,15%,
66) Roseira - 6,11%,
67) Tietê - 6,11%,
68) Nazaré Paulista - 6,10,
69) Santa Rita do Passa Quatro - 6,10%,
70) Turmalina - 6,10%,
71) Dourado - 6 07%,
72) Araraquara - 6,03%,
73) Pindamonhangaba - 6,03%,
74) Capão Bonito - 6,01%,
75) Itapetinga - 6,01%,
76) Analândia - 6,01%,
77) Serra Dourada - 6%,
78) Jambeiro - 6%
79) Serra Negra - 6%.

O cientista político Juvenil Coelho, ao lado da estátua da da Madrinha Eunice no bairro da Liberdade em São Paulo. A Madrinha Eunice foi a primeira madrinha de uma Escola de Samba em São Paulo e no Brasil


Como se vê, a senadora Simone Tebet ( MDB), se a eleição fosse hoje, ela já teria cacife para disputar a eleição para o governo de São Paulo, mas como só teremos eleições em 2024 e para prefeito, certamente ela poderá disputar a eleição na quarta cidade do planeta Terra e com possibilidades de vencer.

A reportagem entrevistou o cientista político Juvenil Carvalho, proprietário do Instituto de Pesquisas Phoenix, há quatro décadas com escritório em São Paulo, Brasília, Norte e Nordeste do país. Ele disse: "Estou na política há mais de 40 anos, e transferir votos para a Presidência da República é efetivamente uma missão quase impossível. Entretanto, existem três fenômenos no Brasil: 'A transferência de Getúlio Vargas para Gaspar Dutra em 1945, a transferência de votos do Brizola no segundo turno da eleição de 1989 para Lula no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul e a transferência dos votos de Simone Tebet no Brasil inteiro para Lula, sendo no Estado de São Paulo, de acordo minhas análises de pesquisas qualitativas e quantitativas, no segundo turno ela transferiu mais de 80% de seus votos mo interior do Estado e na capital ela transferiu 100% e ainda conseguiu mais votos para o Lula, além do que ela teve para si.

A Simone foi de fato a musa da pandemia nas eleições de 2022, quando a mulher foi a protagonista. Além disso, o voto das favelas de São Paulo e o do povo menos favorecido cuja maioria pertence à comunidade negra ela conquistou os segmentos da comunidade negra que não votava em Lula. Se a assessoria da senadora sul mato grossense fizer uma pesquisa mais aprofundada em São Paulo, ela certamente vai transferir o seu domicílio eleitoral para São Paulo, onde ela tem todas as possibilidades de se eleger em 2024", disse o cientista político Juvenil Coelho.

Na foto, quatro homenageadas com o Troféu Raça Negra: a deputada federal Benedita da Silva, a professora Neilda Fabiano, a ex-presidenta Dilma Rousseff e a administradora de empresas Sônia Silva. Esta foi nossa entrevistada abaixo


Entrevistamos também na cidade de São Paulo a primeira aluna da Universidade Zumbi dos Palmares em São Paulo, a administradora de empresas Sônia Silva, uma das 22 mulheres agraciadas com o Troféu Raça Negra no megaevento ocorrido na Sala São Paulo, no dia 21 de novembro de 2022, com cerca de 2 mil convidados. Junto com Sônia foram agraciadas mulheres que contribuíram com a causa negra tais como Simone Tebet, Dilma Rousseff, Benedita da Silva, Luíza Trajano (Magazine Luíza), Graça Machel, única mulher no planeta que foi primeira -dama de dois países, pois foi casada com Samora Machel, ex-presidente de Moçambique e Nelson Mandela, saudoso presidente da África do Sul.

Sônia disse: "Fiquei muito feliz ao receber o Troféu Raça Negra ao lado da admirável Simone Tebet. Acredito que o presidente Lula terá a sensibilidade de nomeá-la esta semana para o Ministério do Desenvolvimento Social, pois ela é comprometida com a prosperidade do Brasil, com os menos favorecidos, onde o povo negro é maioria. Uma sociedade igualitária se dá com a elevação da renda mínima, a assistência alimentar e nutricional. Desta forma teremos uma sociedade igualitária e justa. A Simone é a pessoa talhada para esta pasta", argumentou Sônia Silva.

Na foto, os amigos Eduardo Matarazzo Suplicy e Carla Severiano. Ele foi o deputado estadual mais votado em São Paulo com 807 mil votos. Ela é presidente do Conselho de Ética das Favelas do Brasil e entrevistada para esta matéria abaixo


Conseguimos falar por último com a ativista da causa negra Carla Severiano, que morou por 15 anos na África, e mora atualmente em São Paulo. Ela é presidente do Conselho de Ética das Favelas do Brasil, e afirmou: "Estive recentemente com a assessoria da Simone Tebet em Brasília, mas não consegui encontrá-la. Eu e boa parte das favelas de São Paulo e do Brasil apoiamos a Simone para presidente. Se ela não for nomeada para o Ministério do Desenvolvimento Social, espero que se mude para São Paulo, onde ela inclusive tem apartamento no Guarujá. Aqui vamos elegê-la prefeita em 2024.

Sabemos que o Kassab e a cúpula do PSD têm muita simpatia por ela. Caso ela continue sem o apoio efetivo do MDB, certamente hoje ela tem muitos partidos precisando de uma política que será importante no Brasil do futuro", concluiu Carla Severiano.

Emerson Tormann

Técnico Industrial em Eletrônica com especialização em Tecnologia da Informação e Comunicação. Especialista em inspeção predial. Editor chefe na Atualidade Política Comunicação e Marketing Digital Ltda. Jornalista e Diagramador - DRT 10580/DF. Sites: https://etormann.tk e https://atualidadepolitica.com.br

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Canaã Telecom