Dia Internacional do Riso: quantos minutos você ri por dia?

 Dar risada de 10 a 15 minutos, mesmo que forçada, promove vida mais saudável e longa

Rir, dançar, cantar e brincar são elementos que compõe a Yoga do Riso, aplicada em hospitais e empresas pelo embaixador do riso no Brasil, Paulo Barddal
Créditos: Divulgação

“Rir é o melhor remédio”. Essa máxima que surgiu na década de 1960 já é comprovada por diversas pesquisas: dar risada melhora os sistemas muscular, cardiovascular, respiratório, endócrino, imunológico e nervoso central. “A risada aumenta a tolerância à dor e pode ser uma grande aliada de  pessoas com doenças crônicas. A literatura científica já apresenta dados de que, com a risada, conseguimos benefícios nos campos biológico, fisiológico e mental”, explica o cardiologista do Hospital Marcelino Champagnat, Fernando Luchina Alves. “Geralmente, a risada e o bom humor andam juntos e isso favorece bons e duradouros relacionamentos sociais que estão associados a uma vida mais saudável e longeva”, complementa o médico. 

E não precisa muito para colher todos os benefícios que a risada traz. Rir de 10 a 15 minutos por dia já é o suficiente para diminuir o estresse, produzir os chamados hormônios da felicidade (endorfina, serotonina e dopamina), responsáveis pelo bem-estar, e reduzir o cortisol, que provoca reação negativa no sistema imunológico e na pressão arterial. “A risada é indicada inclusive no pré-operatório, quando o paciente está tenso, ansioso”, ressalta a médica clínica no Hospital Universitário Cajuru, Larissa Hermann. 

Yoga do Riso

“Finge, finge até que atinge”. Esse é o lema que o embaixador do riso no Brasil, Paulo Barddal, usa quando pratica a Yoga do Riso em hospitais e empresas, e que é utilizada por mais de 16 mil clubes do riso espalhados por 115 países. “Rir é um exercício físico e podemos simular a gargalhada até ela ficar real. O cérebro não identifica se a risada é realmente genuína. Quando a gente ri, mesmo que seja um riso forçado, conseguimos resgatar um pouco da criança que existe em nós e que vamos deixando esquecida quando nos tornamos adultos”, conta Barddal.

Rir, dançar, cantar e brincar são os elementos que fazem parte da Yoga do Riso e que podem e devem ser realizados em frente ao espelho quando se está sozinho, porque a energia toma conta de todo o corpo e de pensamentos negativos, nos fazendo esquecer dos problemas, mesmo que momentaneamente. “Rir é terapêutico, porque com o riso conseguimos diminuir o sofrimento e enxergarmos o outro lado da situação. Ver o que nos causa ansiedade por outra perspectiva, ajuda a desarmar um pouco a tristeza, o medo e a angústia”, frisa o embaixador do riso.

Contraindicações

Por mais estranho que pareça, a risada também tem suas contraindicações. Mulheres que estão no primeiro ou último trimestre de gravidez, pessoas com hérnia de disco ou que fizeram recentemente cirurgias como extração de dente, não devem utilizar a prática. “Quando levamos a yoga aos hospitais, sempre nos inteiramos da história do paciente, do motivo da internação. Às vezes, só conversamos”, diz Barddal.

Ação nos hospitais

No dia 18 de janeiro é comemorado o Dia Internacional do Riso. Levando em conta todos os benefícios que a risada traz, colaboradores dos hospitais Marcelino Champagnat e Universitário Cajuru irão se unir durante a semana na prática da Yoga do Riso, que liga a respiração do yoga com exercícios lúdicos do riso. “Muitos começam a atividade com vergonha, tímidos, mas depois vão sentindo os benefícios e a gargalhada rola solta”, finaliza Barddal.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Canaã Telecom