Doenças do repolho afetam qualidade dos produtos e resultados dos agricultores

 Cultivares resistentes, como o Henia F1 da TSV Sementes, conseguem se desenvolver mesmo em solos afetados por patologias

O controle fitossanitário desempenha um papel preponderante no desenvolvimento adequado de produtos hortifrúti, de forma que o manejo e o tratamento de doenças que atacam uma determinada cultura e a escolha de cultivares resistentes a uma determinada praga ou doença se tornam fundamentais para a produção com qualidade, proporcionando resultados positivos para o negócio de um agricultor. Esse é o caso dos repolhos, por exemplo, que são suscetíveis à hérnia das crucíferas e ao Xanthomonas campestris (Xcc).

A primeira das doenças citadas é causada por um fungo, o Plasmodiophora brassicae, que se propaga pela água e se desenvolve na raiz da planta, de acordo com estudo realizado pelo pesquisador em fitopatologia da Embrapa Hortaliças Ailton Reis. A hérnia da crucífera, por poder permanecer um extenso período (até 10 anos) fixada na terra, impede a realização de uma rotação de culturas adequada, comprometendo o trabalho dos produtores rurais, uma vez que o processo de erradicação não é facilmente executado.

Uma cultura com elevada relevância no Centro-Sul do Brasil, sendo uma importante fonte de renda para seus produtores, o repolho bem desenvolvido tem excelente aceitação e recepção no mercado consumidor. Uma lavoura comprometida com a incidência desse fungo apresenta produtos deficientes de nutrientes e suscetíveis à ataques de outros tipos de fungos e bactérias.

Já em relação à bactéria Xanthomonas campestris, seus efeitos na planta afetam o aspecto visual dos repolhos, o que reduz o valor comercial deles nos pontos de venda. O Xcc se prolifera nos tecidos vasculares das plantas, como aponta estudo das pesquisadoras Edilaine Alves de Melo (UFRPE) e Kátia Cilene da Silva Felix (PNPD/CAPES/FACEPE), agindo, principalmente, na cabeça do repolho.

Solução da linha TSV Sementes

O trabalho de desenvolvimento de variedades resistentes aos organismos mencionados anteriormente é necessário para que os produtores tenham sucesso no plantio mesmo em áreas que tenham presença desses organismos. Nesse sentido, a linha TSV Sementes da Agristar do Brasil apresenta aos agricultores o repolho Henia F1 como o material mais indicado para esse cenário, pois é adaptado para resistir, principalmente, à hernia das crucíferas.

“Esse é um híbrido que pode ser plantado o ano todo e se mostra muito eficiente no verão, especialmente, considerando a umidade elevada desse período. O problema da hérnia das crucíferas se acentua nessa estação, pois o fungo causador se propaga mais intensamente pela água, ou seja, com chuvas e alta umidade ele acaba se alastrando com mais facilidade. Um material como o Henia garante proteção e segurança contra essa situação”, explica o especialista em Brássicas e Folhosas da Agristar, Silvio Nakagawa.

A coloração e a cerosidade desse produto também protegem o repolho da incidência de bactérias em sua planta. “A cera presenta nas folhas acaba protegendo o Henia F1 da água que se acumula e escorre pela estrutura foliar do material, evitando a proliferação de microrganismos e, consequentemente, das doenças trazidas por eles”, detalha Nakagawa.

A cabeça desse repolho é mais um destaque dessa variedade, segundo o especialista, pois suas características facilitam o transporte pelo Brasil. “A parte mais importante do repolho Henia é a sua cabeça, que apresenta bom tamanho e elevada compacidade, permitindo que ela seja transportada para regiões mais distantes com segurança e sem perder suas qualidades ao longo do trajeto”.

Isso garante um melhor padrão comercial para o mercado consumidor, o que agrega valor à produção desse repolho como um todo. “Um produto saudável, de qualidade, com coloração e tamanho de cabeça adequados é muito bem-visto nos pontos de venda. O cultivo de repolho Henia F1, da TSV Sementes, traz esses resultados e torna a atividade do produtor um negócio rentável”, ressalta Silvio Nakagawa.

Quem produz, aprova

O produtor Diego Fernandes, de Nova Friburgo (RJ), reitera a importância do pacote de resistências oferecido pelo repolho Henia para o cultivo. “Por apresentar proteção principalmente contra a hérnia das crucíferas, o material se desenvolve da forma esperada, sendo muito bem aceito no mercado”.

O padrão de cabeça dessa cultivar também é um ponto estratégico para os resultados positivos de plantio e de comercialização, segundo Fernandes. “Nesse segmento, o padrão de cabeça do Henia é excelente em comparação com outros repolhos. Na minha região, ele tem sido muito bom de produzir, além de apresentar ótimos resultados”, conclui.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
GDF
Bio Caldo - Quit Alimentos
Canaã Telecom