Índice da cesta de derivados lácteos varia -2,95% em outubro

No décimo mês do ano, os preços médios de três produtos, dos cinco que compõem a cesta de derivados lácteos, apresentaram recuo em relação a setembro: Leite UHT Integral (-6,82%), Queijo Muçarela (-2,90%) e Leite Condensado (-6,59%) (Foto: Seapa-GO)
No décimo mês do ano, os preços médios de três produtos, dos cinco que compõem a cesta de derivados lácteos, apresentaram recuo em relação a setembro: Leite UHT Integral (-6,82%), Queijo Muçarela (-2,90%) e Leite Condensado (-6,59%) - Foto: Seapa-GO

O preço médio dos derivados de leite no estado teve uma variação total ponderada de -2,95% em outubro, na comparação com o resultado de setembro, de acordo com monitoramento da Câmara Técnica e de Conciliação da Cadeia Láctea de Goiás.

A informação foi divulgada na última sexta-feira (27/10) no Boletim de Mercado do Setor Lácteo Goiano. Após a apresentação e discussão dos números pelos representantes das entidades que compõem a Câmara, a publicação foi disponibilizada ao público no site oficial da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

O Boletim de Mercado do Setor Lácteo Goiano traz os preços médios recebidos pelas indústrias de laticínios para cinco derivados lácteos: Leite UHT Integral, Leite em Pó Integral, Queijo Muçarela, Leite Condensado e Creme de leite a Granel. Em outubro, os preços médios de três dos cinco produtos apresentaram recuo em relação a setembro. São eles: Leite UHT Integral (-6,82%), Queijo Muçarela (-2,90%) e Leite Condensado (-6,59%). Leite em Pó Integral e Creme a Granel registraram altas (+1,71 e +0,24%), respectivamente.

"Estes resultados tiveram impacto no índice da cesta de derivados lácteos, que é formado pelas variações ponderadas dos preços dos produtos monitorados pela Câmara Técnica e de Conciliação da Cadeia Láctea de Goiás", explica o gerente de Desenvolvimento de Cadeias Produtivas Agropecuária da Seapa, André Lousa. Em outubro, o índice registrou uma variação ponderada de -2,95%. "É importante que tanto o produtor quanto as indústrias acompanhem o Boletim e usem o índice como referência ao fechar novos contratos", alerta.

Saiba mais

A Câmara Técnica e de Conciliação da Cadeia Láctea de Goiás é composta por representantes da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), Sindicato das Indústrias de Laticínios no Estado de Goiás (Sindileite), Instituto Mauro Borges (IMB/SGG), Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) Sindicato do Comércio Varejista de Alimentos de Goiás (Sincovaga) e Associação Goiana de Supermercados (Agos). Acesse aqui a edição de outubro do Boletim de Mercado do Setor Lácteo Goiano.

Com informações de Hosana Alves - Agência Cora Coralina

Emerson Tormann

Técnico Industrial em Elétrica e Eletrônica com especialização em Tecnologia da Informação e Comunicação. Editor chefe na Atualidade Política Comunicação e Marketing Digital Ltda. Jornalista e Diagramador - DRT 10580/DF. Sites: https://etormann.tk e https://atualidadepolitica.com.br

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Bio Caldo - Quit Alimentos
Canaã Telecom