Sancionada lei que institui campanha sobre cinomose canina

Imagem gerada por IA

A norma, de autoria do deputado Robério Negreiros, visa promover ações educativas para informar a população sobre a transmissão, sintomas, formas de prevenção e tratamentos


Por Agencia CLDF* | Edição: Emerson Tormann

Foi sancionada e já está em vigor a Lei nº 7.384/24, de autoria do deputado distrital Robério Negreiros (PSD), que institui a campanha de conscientização sobre a cinomose canina. A legislação visa promover ações educativas para informar a população sobre a transmissão, sintomas, formas de prevenção e tratamentos. A doença, causada por um vírus, é considerada grave, altamente contagiosa, de difícil tratamento e pode levar à morte do animal.

Robério ressalta a gravidade da cinomose canina e a importância da vacinação - Imagem CLDF / Divulgação
Robério ressalta a gravidade da cinomose canina e a importância da vacinação - Imagem CLDF / Divulgação

“A prevenção se dá por meio de vacinas, que devem ser aplicadas quando o filhote tem entre 6 e 8 semanas de vida, com reforço anual. Evitar o contato com outros cães antes de vaciná-lo é também uma forma de prevenir a doença. Ao perceber qualquer sintoma, o tutor deve procurar um especialista imediatamente, pois somente o veterinário saberá diagnosticar e indicar o melhor tratamento”, afirma o autor da lei.

Cinomose canina

É uma doença viral e altamente contagiosa que afeta cães, especialmente filhotes que ainda não terminaram o esquema vacinal ou que não costumam receber o reforço anual da vacina múltipla (V8, V10 ou V11). A doença é causada por um vírus da família Paramyxovirus, do gênero Morbilivírus, e pode ser transmitida pelo contato com secreções, urina e fezes infectadas pelos animais doentes. 

Além disso, casinhas, cobertores e alimentos dos animais infectados também são fontes de infecção. Os sintomas da cinomose canina incluem apatia, perda de apetite, diarreia, vômito, febre, secreções oculares e tremores musculares que podem evoluir para crises de convulsões. A doença é grave e pode levar à morte se não for tratada a tempo. 

Para prevenir a cinomose, é fundamental que os tutores vacinem seus cães e evitem que eles tenham contato com outros cães, com o chão ou gaiolas que não foram higienizadas.

*Com informações da assessoria de imprensa do deputado Robério Negreiros

Emerson Tormann

Técnico Industrial em Elétrica e Eletrônica com especialização em Tecnologia da Informação e Comunicação. Editor chefe na Atualidade Política Comunicação e Marketing Digital Ltda. Jornalista e Diagramador - DRT 10580/DF. Sites: https://etormann.tk e https://atualidadepolitica.com.br

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
GDF
Bio Caldo - Quit Alimentos
Canaã Telecom