Santa Maria e Recanto das Emas superam média brasileira e têm mais de 76% e 74% das crianças alfabetizadas no 2º ano em 2023, respectivamente

 

Ler e escrever na idade certa é um direito fundamental a ser garantido a todas as crianças para que possam avançar na trajetória escolar. No Brasil, apenas 36% das crianças brasileiras sabem ler ao final do 2º ano, de acordo com o QEdu – plataforma de dados do Sistema de Avaliação da Educação Básica. Em Santa Maria, no entanto, os resultados superam a média nacional: 76% das crianças de 2º ano encerraram o ano alfabetizadas. E em Recanto das Emas, 74% das crianças finalizaram o 2º ano em níveis adequados de alfabetização.

O resultado foi conquistado a partir do Pacto pela Alfabetização: uma iniciativa colaborativa entre sociedade civil e municípios que está ancorada em três pilares: estruturação do ensino a partir das evidências científicas atuais, gestão da aprendizagem a partir de indicadores de resultados e mobilização comunitária de  professores, diretores, coordenadores, pais e responsáveis para a importância da alfabetização na idade certa.

A partir da adesão ao Pacto, doze escolas de Recanto das Emas e onze escolas de Santa Maria passaram a aferir o desenvolvimento das crianças regularmente. Esse acompanhamento permitiu identificar lacunas de aprendizagem e apoiar o processo de aprendizagem em cada escola,  cada turma e cada aluno. Ao todo, foram beneficiadas mais de seis mil crianças nas duas regionais de ensino

Turmas 100% alfabetizadas
Na Escola Classe 404, de Recanto das Emas, 100% dos estudantes do 2º ano da turma A registraram alfabetização completa. Isso significa que leem com fluência, compreendem o que leem e escrevem corretamente.

“O resultado é positivo, desde que o trabalho realizado seja integrado à realidade do aluno. É preciso contextualizar todas as situações para ter uma aprendizagem significativa para o aluno, assim como foi feito em nossa escola”, explica Diovana Soares, professora do 2º ano da Escola Classe 404, em Recanto das Emas.

Para Jaqueline Machado, diretora-executiva do Instituto Raiar – organização sem fins lucrativos que apoia a implementação do Pacto nos municípios brasileiros – os resultados demonstram como é possível desenvolver resoluções transformadoras em cenários complexos ao se colocar as crianças como protagonistas do processo de aprendizagem.  

“Em um país onde menos da metade das crianças está alfabetizada ao final do 2º ano, a conquista destas regionais de ensino do Distrito Federal é muito significativa e deve inspirar outras redes do país a seguirem pelo mesmo caminho. Como sociedade, não podemos mais aceitar que a maioria das crianças chegue aos oito anos de idade sem saber ler”, afirma Jaqueline.

Pacto pela Alfabetização
O Pacto pela Alfabetização tem como objetivo  alfabetizar as crianças no 1º ano e consolidar a alfabetização no 2º ano.  tA implantação do Pacto em Santa Maria e Recanto das Emas está em consonância o Compromisso Nacional Criança Alfabetizada, que visa elevar a qualidade da alfabetização, combater o analfabetismo e promover práticas de alfabetização mais eficazes, criando melhores condições para o ensino e a aprendizagem das habilidades de leitura e de escrita em todo o país.

O programa ainda realiza  formações aos professores, modelagem de gestão, qualificação dos processos de aprendizagem e incentivo à atuação em rede, com a união da comunidade escolar pelo ideal de uma educação em constante melhoria.

Em 2024, o Pacto pela Alfabetização estará em oito cidades, apoiando o desenvolvimento de  mais de 50 mil crianças para a conquista da alfabetização e a promoção do direito de cada estudante à educação pública de qualidade.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
GDF
Bio Caldo - Quit Alimentos
Canaã Telecom