PF combate crimes de abuso sexual infantojuvenil na internet

PF combate crimes de abuso sexual infantojuvenil na internet - Foto: Divulgação/Polícia Federal
PF combate crimes de abuso sexual infantojuvenil na internet - Foto: Divulgação/Polícia Federal

Com a recente aprovação da Lei nº 14.811, o crime de armazenamento de conteúdo de abuso sexual infantojuvenil passou a ser considerado crime hediondo

Por Polícia Federal

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (8/2), a 4ª fase da Operação Carancho, de combate a crimes de armazenamento e compartilhamento de material com abuso sexual infantojuvenil na internet, cujas penas somadas podem chegar a dez anos de reclusão.

Nesta fase foram cumpridos mandados judiciais de busca e apreensão em dois endereços na capital potiguar, sendo investigados um homem de 46 anos, no bairro das Rocas e outro de 26 anos.

Com a recente aprovação da Lei nº 14.811, em janeiro de 2024, que instituiu medidas de proteção à criança e ao adolescente contra a violência nos estabelecimentos educacionais, Prevenção e Combate ao Abuso e Exploração Sexual da Criança e do Adolescente, o crime de armazenamento de conteúdo de abuso sexual infantojuvenil passou a ser considerado crime hediondo.

A operação Carancho, cujo  nome refere-se a uma ave de rapina, sucede a operação Abutre, deflagrada no ano de 2023, e que contou com dez fases, tendo sido cumpridos mandados de busca e apreensão e realizadas prisões em flagrante em seis municípios do Rio Grande do Norte.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
GDF
Bio Caldo - Quit Alimentos
Canaã Telecom