-->

Theme Layout

Theme Translation

Trending Posts Display

Home Layout Display

Posts Title Display

404

Página não encontrada

Início

Inaugurada no dia 21 de abril de 1960, pelo então presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, Brasília tem, atualmente, incluindo o conjunto das suas regiões administrativas – que formam o Distrito Federal – uma população estimada em 3,025 milhões de pessoas, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2019


As pesquisas apontam ainda que a cidade ocupa a oitava posição na economia brasileira e tem a maior renda per capita do país, de R$ 79.099,77.

Com projeto urbanístico de Lúcio Costa e arquitetura de Oscar Niemeyer, Brasília foi construída por milhares de brasileiros que se deslocaram de várias regiões do país. Sua construção começou em 1956 e terminou em 1960.

Com área de 5.802 Km², a densidade demográfica da região, segundo dados do governo do DF, é de 474,3 habitantes por Km², o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é 0,824 (escala de 0 a 1) e a taxa de analfabetismo é 2,25%. O Produto Interno Bruto (PIB) do DF é de R$ 244,683 bilhões, conforme dados do IBGE e da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), nas chamadas contas regionais do período de 2019. Por esses dados, o DF ocupa a oitava posição na economia brasileira e tem a maior renda per capita do país, de R$ 79.099,77. O valor é 2,6 vezes maior do que o do PIB nacional.

Nessa pesquisa, foi constatado que a administração pública permanece como a atividade mais relevante na economia do DF, representando 53,8% de toda a estrutura produtiva, e contribuindo com 22,8% na composição da taxa do valor adicionado bruto total.

A atividade de serviços de informação registrou o maior crescimento acumulado no período: 48%, com média anual de 8,16%. Tal atividade inclui telecomunicações, consultoria de hardware, software, processamento de dados, atividades de banco de dados e distribuição online, atividades cinematográficas, de rádio e de agências de notícias.

Pobreza
Mesmo sendo grande o desenvolvimento da região, há um enorme contraste entre o chamado Plano Piloto de Brasília e as cidades-satélites que formam o Distrito Federal. O IBGE aponta índice de pobreza e desigualdade social na capital federal de 37,71% em pesquisa realizada em 2003. Na mesma pesquisa, foram registrados índices de 23,85% e 28,09% nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo, respectivamente.

Esses dados foram ratificados em recente relatório feito pela Organização das Nações Unidas (ONU), apresentado na abertura do V Fórum Urbano Mundial da instituição, realizado em março, no Rio de Janeiro. Segundo a ONU, Brasília é uma das 20 cidades do mundo que apresentam maiores diferenças de renda entre ricos e pobres. Nesse ranking, Brasília ficou classificada em 16º lugar, atrás de Goiânia (10º lugar), Belo Horizonte e Fortaleza (13º lugares). Nove cidades localizadas na África do Sul lideram o ranking, e as capitais da Nigéria, Etiópia, Colômbia, Quênia e Lesoto também estão entre as cidades mais desiguais do mundo.

O documento, intitulado O estado das cidades do Mundo 2019/2020, também informa que o Brasil é o país com maiores desigualdades sociais na América Latina. Nessa pesquisa, São Paulo e Rio de Janeiro foram classificados, respectivamente, no 28º e 39º lugares.

O Distrito Federal subdivide-se em 33 regiões administrativas. Além de Brasília (Plano Piloto), Lago Sul e Lago Norte, que formam a área de maior poder aquisitivo, as demais regiões administrativas são: Gama, Taguatinga, Brazlândia, Sobradinho, Sobradinho II, Planaltina, Paranoá, Núcleo Bandeirante, Ceilândia, Guará, Cruzeiro, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, Recanto das Emas, Riacho Fundo, Riacho Fundo II, Candangolândia, Águas Claras, Sudoeste/Octogonal, Varjão, Park Way, Setor Complementar de Indústria e Abastecimento (SIA), Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), Jardim Botânico, Itapoã, Vicente Pires, Fercal, Sol Nascente e Por do Sol e Arniqueiras.

A mais antiga das regiões administrativas é Planaltina. Sua povoação remonta ao começo do século 19. Transformada em município em 1859, passou a ser cidade-satélite em 1960, com a inauguração de Brasília. Acampamentos de operários da construção de Brasília, que se formaram a partir de 1956, deram origem à Candangolândia e ao Núcleo Bandeirante. Taguatinga e Cruzeiro foram fundadas, respectivamente, em 1958 e 1959.

Entre as regiões administrativas mais novas, destaca-se Águas Claras, cuja construção começou nos anos 90. Planejada pelo arquiteto Paulo Zimbres, é composta por prédios de condomínios destinados, em sua maioria, à classe média.

 

Fotos: Udson Fábio.

Leave A Reply

Blog do Paulo Roberto Melo

[name=Blog do Paulo Melo] [img=https://2.bp.blogspot.com/-SMQa2r91n1w/WxcuM5dFiAI/AAAAAAAAHbE/-xMkvHecaMMxZr2u27V4lWwHMKY6IgyqgCK4BGAYYCw/s0/BLOG-DO-PAULO-MELO-ELEI%25C3%2587OES-2018.png] [description=Sou formado em Gestão Pública pela UCDB e Gestão Empresarial na UNIPLAN, já cursei Ciência Política na UDF, trancando no 3° período. Também cursei Ciências Contábeis na UPIS.Tenho pos graduação em Gerenciamento de Projetos pela Uniandrade e MBA em Marketing pela FGV..] (facebook=Facebook.com) (twitter=Twitter.com) (instagram=Instagram.com) (bloglovin=Blogvin.com) (pinterest=Pinterest.com) (tumblr=Tumblr.com)