-->

Theme Layout

Theme Translation

Trending Posts Display

Home Layout Display

Posts Title Display

404

Página não encontrada

Início

Em decorrência da crise causada pelo coronavírus, as vendas do comércio brasiliense registraram queda de 11,63% no mês de maio deste ano, quando comparado com abril. O setor de Serviços também apresentou redução


Caiu 15,81% em relação ao mês anterior. Já o turismo da capital, que engloba agências de viagem, artigos de viagem, hotel e serviços de turismo, teve recuo de 52,02% em maio, também quando comparado com abril. Os dados são da Pesquisa Conjuntural de Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal, realizada pelo Instituto Fecomércio, com o apoio do Sebrae. Foram ouvidos 542 empresários, no período de 1º a 19 de junho de 2020.


O presidente da Fecomércio-DF, Francisco Maia, diz que o resultado já era esperado, dado ao cenário de fechamento do comércio na capital do País. Hotéis, academias, eventos, bares e restaurantes foram alguns dos segmentos mais prejudicados, o que agrava a crise com demissões, falências e prejuízos. “O comércio foi fechado em março, por questões de saúde, e parte das lojas começaram a reabrir apenas no final de maio. Por isso, a queda acentuada nas vendas”, destaca Francisco Maia.

Ele ressalta ainda que a Federação do Comércio, assim como Sesc e Senac, e os sindicatos empresariais da entidade estão trabalhando para amenizar os problemas. “A Fecomércio, junto com outras instituições do setor produtivo e o GDF, estão trabalhando para estabelecer protocolos e evitar a proliferação do vírus. Os comerciantes também estão atentos e cumprindo as recomendações de saúde. Acredito que com o tempo essas medidas vão gerar confiança nas pessoas para que voltem a consumir mais”, explica Francisco Maia.

Em maio, dos 15 segmentos do comércio pesquisados, apenas quatro registraram crescimento nas vendas, foram eles: Ferragens e Ferramentas (13,25%); Minimercados, Mercearias e Armazéns (11%); Farmácias (4,58%); e Padarias e Confeitarias (3,04%). Os que registraram queda: Vestuário e Acessórios (-37,04%); Joalherias (-36,75%); Calçados (-30,43%); Papelarias e Livrarias (-28%); Óticas (-16%); Cosméticos e Perfumarias (-15,68%); Artigos de Armarinho, Suvenires e Bijuterias (-15,24%); Móveis (-13,33%); Cama, Mesa e Banho (-7,75%); Material de Construção (-1,48%) e autopeças e acessórios (-0,91%). 

No setor de serviços, houve crescimento nas vendas em apenas um dos sete segmentos apurados pela pesquisa: Petshop, com acréscimo de 2,38%. Os que registraram recuo: Manutenção de Veículos (-26,67%); Bar, Restaurante e Lanchonetes (-25,48%); Promoção de Vendas (-24,05%); Vidraçaria (-14,25%); Manutenção e Serviços em TI (-7,89%); Atividades de Contabilidade (-3,65%). No setor de turismo a queda foi a mais acentuada: Serviço de Turismo (75,63%); Agências de Viagens (-59%); Hotéis (-40,45%) e Artigos de Viagem (-39,23%).

Meios de pagamento
Nas formas de pagamento dos setores de comércio, serviços e turismo, o destaque em maio de 2020 ficou para as compras no cartão de crédito com 42,47% e no dinheiro (31,65%). As duas modalidades de compra acumulam um índice de 74,12% da preferência do consumidor.
Leave A Reply

Blog do Paulo Roberto Melo

[name=Blog do Paulo Melo] [img=https://2.bp.blogspot.com/-SMQa2r91n1w/WxcuM5dFiAI/AAAAAAAAHbE/-xMkvHecaMMxZr2u27V4lWwHMKY6IgyqgCK4BGAYYCw/s0/BLOG-DO-PAULO-MELO-ELEI%25C3%2587OES-2018.png] [description=Sou formado em Gestão Pública pela UCDB e Gestão Empresarial na UNIPLAN, já cursei Ciência Política na UDF, trancando no 3° período. Também cursei Ciências Contábeis na UPIS.Tenho pos graduação em Gerenciamento de Projetos pela Uniandrade e MBA em Marketing pela FGV..] (facebook=Facebook.com) (twitter=Twitter.com) (instagram=Instagram.com) (bloglovin=Blogvin.com) (pinterest=Pinterest.com) (tumblr=Tumblr.com)