Theme Layout

Theme Translation

Trending Posts Display

Home Layout Display

Posts Title Display









404

Página não encontrada

Início


Por determinação do governador Ibaneis Rocha (MDB), os recursos são investidos, principalmente, na construção do Túnel de Taguatinga e na reforma da Avenida Hélio Prates

Foto: Renato Alves.

Taguatinga nasceu da vontade que brasileiros vindos de todos os cantos do país tinham de fazer parte da construção de Brasília. Fundada em 5 de junho de 1958, a cidade é dois anos mais velha que a capital federal e, por isso, é conhecida como cidade-mãe. Neste domingo (5), completa 64 anos e presenteia a população, entre pioneiros e novos moradores, com obras e investimentos em infraestrutura.

O GDF investe mais de R$ 322 milhões em obras viárias para melhorar o tráfego de motoristas e pedestres pelas ruas, esquinas e avenidas de Taguatinga. Só no túnel que vai agilizar a viagem entre o Plano Piloto e Ceilândia, como parte do Corredor Eixo Oeste, estão sendo aplicados mais de R$ 275 milhões | Foto: Lúcio Bernardo Jr/Agência Brasília

"Taguatinga é mãe de Brasília, mas também de Vicente Pires, Águas Claras, Samambaia. Essas cidades saíram de dentro de Taguatinga e, com a criação das novas RAs (regiões administrativas), a cidade não teve mais como expandir verticalmente. Taguatinga, então, se consolidou como referência em comércio e estrutura no DF. Hoje, é uma cidade que recebe gente de todos os lugares e os cuidados do governo são para manter esse desenvolvimento", alega o administrador regional de Taguatinga, Ezequias Pereira.

O Governo do Distrito Federal (GDF) reverteu mais de R$ 322 milhões em intervenções para melhorar o tráfego de motoristas e pedestres pelas ruas, esquinas e avenidas da região administrativa. O destaque pode ser atribuído ao Túnel de Taguatinga, maior obra viária em andamento no Brasil.

São R$ 275,7 milhões em investimentos para entregar uma passagem de 1.010 metros de extensão com duas vias paralelas, cada uma com três pistas de rolagem em cada sentido. A obra vai agilizar a viagem entre o Plano Piloto e Ceilândia, como parte do Corredor Eixo Oeste.

As obras na Avenida Hélio Prates estão divididas em três etapas. O trecho da via em Taguatinga prevê a ampliação e a remodelação de calçadas, reordenamento e pavimentação de estacionamentos, implantação de ciclovia, paisagismo e mobiliário urbano | Foto: Paulo H Carvalho/Agência Brasília

Outro integrante do complexo viário é o viaduto da Estrada Parque Taguatinga Guará (EPTG) e da Estrada Parque Contorno (EPCT/DF-001), que recebeu R$ 5,155 milhões para o alargamento das vias. O trecho foi inaugurado em fevereiro de 2020 e emprega 2 mil metros cúbicos de concreto e 220 toneladas de aço. Com a intervenção, os motoristas podem trafegar por 11 faixas, cinco no sentido Plano Piloto e quatro no sentido Taguatinga, além de duas exclusivas para ônibus.

Há ainda a reforma da Avenida Hélio Prates. O trecho receberá melhorias em três etapas: a primeira localiza-se em Ceilândia e já foi finalizada, as outras duas são em Taguatinga. O aporte para o trabalho executado na cidade aniversariante deste domingo é superior a R$ 53 milhões e deve gerar mais de mil empregos diretos e indiretos.

A intervenção prevê a ampliação e a remodelação de calçadas, reordenamento e pavimentação de estacionamentos, implantação de ciclovia, paisagismo e mobiliário urbano e execução de obras no Parque Ecológico do Cortado, com implantação de lagoas de detenção e solução para contenção de erosão junto ao mirante da unidade.

Está em andamento também a elaboração e readequação dos projetos executivos de drenagem de Taguatinga, nas áreas de contribuição de 18 bacias de detenção. Conhecido como Drenar Taguatinga e parado há mais de 10 anos, o projeto foi retomado na atual gestão com investimento de R$ 2,8 milhões.

Histórias, raízes e memórias

Luiz Morais, que atualmente mora no Recanto das Emas, não esquece os tempos que viveu na cidade: "Fico aqui, sentado, conversando com o pessoal. Às vezes passo nas lojas, caminho pelas ruas ou então só fico vendo o movimento mesmo. Tenho muita saudade de Taguatinga, foi bom demais morar aqui. Quem sabe um dia eu volto" | Foto: Joel Rodrigues / Agência Brasília

A caminho de consagrar-se como septuagenária, Taguatinga está entre as cidades mais cotadas pela população do DF para moradia. O dado foi revelado na Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad) de 2021, realizada pela Codeplan. Do total dos participantes do estudo, 10,9% indicaram que têm interesse em morar na região aniversariante, atrás apenas de Ceilândia, que é preferência para 14,5% dos entrevistados.

Luiz Morais, 72 anos, sonha com a volta para a querida Taguatinga. Nascido no Piauí, ele veio para o DF em 1995 em busca de trabalho e lá ficou até o começo de 2020, quando teve que se mudar por motivos financeiros. Agora morando no Recanto das Emas, sempre que pode passeia pelo centro da cidade.

"Fico aqui, sentado, conversando com o pessoal. Às vezes passo nas lojas, caminho pelas ruas ou então só fico vendo o movimento mesmo. Tenho muita saudade de Taguatinga, foi bom demais morar aqui. Quem sabe um dia eu volto", conta o aposentado.

Getúlio Romão, que viu Taguatinga crescer, amadurecer e se consolidar, reuniu em um livro 770 fotografias autorais e relatos de todos os administradores de Taguatinga até 2016 | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

Fotógrafo e corretor de imóveis, Getúlio Romão, 77 anos, registrou, com os olhos e lentes, os momentos históricos que fazem parte de Taguatinga. Ele e a família chegaram à cidade em 1960, envolvidos com a construção da nova capital federal e, dois anos depois, começaram a fotografar o que acontecia na cidade. Pioneiro, Getúlio se tornou um personagem na história de Taguatinga: viu a cidade crescer, amadurecer e se consolidar.

Décadas após a chegada à cidade, ele não tem planos de sair. "Estou enraizado profundamente. Mas, os filhos já estão arranjando o que fazer. Tenho um filho e dois netos no Canadá que não vejo há dois anos. Então, os filhos não ficam, mas eu fico", pontua o desbravador da cidade, que reuniu em um livro 770 fotografias autorais e relatos de todos os administradores de Taguatinga, até 2016.

Estrutura
A Praça do Relógio e outros pontos de convivência da comunidade também entraram na lista de prioridades do GDF nos últimos três anos. No ponto histórico, dentro do projeto do Túnel de Taguatinga, será totalmente reurbanizada, com reforma dos canteiros e espelho d'água, bem como reconstrução do piso e das rampas de acesso.

A Praça do Bicalho passou por reformas no piso, na quadra poliesportiva e no estacionamento. Também do lado norte da cidade, foi finalizada a primeira etapa dos serviços da Praça do DI, que incluiu a instalação de piso de cimento usinado e redirecionamento de pedras portuguesas. Ainda neste ano, no mesmo local, será iniciada a segunda fase do processo, com melhorias nos equipamentos de lazer e desporto e das áreas vizinhas.

Já a Praça da Vila Mathias, em Taguatinga Sul, passou recentemente por ações do GDF Presente, programa distrital que executa serviços em todas as regiões administrativas. Lá, foram trocadas as traves do gol e os alambrados da quadra poliesportiva, além da limpeza e capina do espaço. O programa também promoveu a recuperação e construção de calçadas, meios-fios e outros itens por toda a cidade.

Educação, saúde e segurança
O GDF ainda investiu em educação, saúde e segurança desde 2019. Por meio de recursos do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (Pdaf), foram entregues a Escola Classe (EC) 52 e o Centro de Ensino Infantil (CEI) 10, ambos em Taguatinga.

A EC 52 foi inaugurada em abril de 2022, com 19 salas de aula, 4.464,82 m² de área construída e capacidade de atendimento de até 1.254 estudantes do 1° ao 5° ano do ensino fundamental, em dois turnos. O novo espaço, com área construída de 4.464,82 m², recebeu R$ 8,033 milhões.

No mesmo mês, houve a entrega do CEI 10, com capacidade para atender 220 alunos de 4 e 5 anos em dois turnos. A escola foi construída em uma área de 700 m², com cinco salas de aula e uma ala administrativa, além de cantina, refeitório, despensa, banheiros, pátio de recreação e estacionamento. O aporte total foi de R$ 2 milhões.

Desde 2019 há também cuidado com a saúde e a segurança pública. Em fevereiro de 2021, o GDF adquiriu um posto-base do Samu para atendimentos de emergências e, em setembro de 2020, ampliou o atendimento de emergências no Hospital Regional de Taguatinga.
Leave A Reply

DANNTEC ENGENHARIA