Theme Layout

Theme Translation

Trending Posts Display

Home Layout Display

Posts Title Display





404

Página não encontrada

Início

 Foto: Renan Lisboa (estagiário)/CLDF


O debate foi uma iniciativa do deputado João Cardoso, que destacou a localização da via em meio à Estação Ecológica Águas Emendadas

Apontada como solução para os problemas de tráfego na DF 128, que têm gerado acidentes, inclusive com dezenas de mortes, a duplicação da rodovia foi tema de audiência pública na Câmara Legislativa. Contando com a presença de vereadores de Planaltina de Goiás, que defenderam veementemente a medida, além de ambientalistas e representantes do GDF, o debate foi uma iniciativa do deputado João Cardoso (Avante), que destacou a localização da via em meio à Estação Ecológica Águas Emendadas, uma das mais importantes reservas naturais do Distrito Federal.

A ideia foi reunir o maior número de visões que possam contribuir para melhorar a mobilidade entre o Distrito Federal e a cidade do Entorno. Entre as ideias, foram sugeridas a imediata colocação de “pardais” ao longo da rodovia para evitar o excesso de velocidade, a criação de um grupo de trabalho com prazo determinado para apresentar soluções e o deslocamento do fluxo de veículos para a DF 205, com a construção de 11 quilômetros de estrada da cidade goiana até o anel viário.

Representantes da Secretaria de Meio Ambiente do DF defenderam uma solução que favoreça o deslocamento seguro dos cidadãos respeitando as questões do ecossistema Cerrado, que guarda importantes nascentes. Coordenador do movimento Guardiães de Águas Emendadas, Marcelo Benini, chamou a atenção para problemas que podem advir da duplicação.

Por sua vez, o professor David Duarte, presidente do Instituto Brasileiro de Segurança no Trânsito, observou que, “se for encontrada uma boa solução”, é possível que a obra seja realizada garantindo proteção ao meio ambiente, à fauna e à flora do local. 

A previsão é que a duplicação da DF 128, que tem cerca de 20 quilômetros dentro do Distrito Federal, chegue a R$ 230 milhões.

Durante a discussão, o deputado João Cardoso defendeu que seja encontrada uma saída que atenda a população e os aspectos ambientais envolvidos, sem colocar em oposição vida humana e natureza.

Marco Túlio Alencar - Agência CLDF

Leave A Reply

DANNTEC ENGENHARIA