Cânceres de mama e do colo do útero são os que mais atingem mulheres

 

Exames de rotina e cuidados com a saúde são fundamentais para o combate às doenças

 


Com o intuito de alertar para a importância do diagnóstico precoce dos cânceres de mama e - mais recentemente - do colo do útero, no mês de outubro celebra-se o “Outubro Rosa”. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de mama é a primeira causa de morte por tumor maligno na população feminina no Brasil. A estimativa é de 66.280 casos novos e 17.825 óbitos para cada ano do triênio 2020-2022. Quanto ao carcinoma do colo do útero, que é o mais prevalente entres os cânceres ginecológicos, o Inca previu para o mesmo período o acréscimo anual de 16.710 mulheres com a doença e 6.627 óbitos. 

O diagnóstico na fase inicial dessas doenças é determinante para aumentar as chances de cura, por isso, é importante realizar consultas e exames a cada 12 meses. No caso do câncer de colo de útero, é possível prevenir com vacinação contra papilomavírus humano (HPV), um agente infeccioso transmitido sexualmente causador desse câncer.

“O Outubro Rosa serve justamente para lembrar as mulheres de fazerem seus exames de rotina. No geral, até os 40 anos de idade, elas podem fazer a ultrassonografia. A partir dessa faixa etária, a indicação é a mamografia e, quando necessário, podem ser solicitados métodos complementares. No Exame Medicina Diagnóstica, temos a tomossíntese, que é uma mamografia tridimensional (3D) que aumenta a sensibilidade na detecção de algumas lesões”, explica Dra. Lorena Amaral, radiologista especialista em imagem da mama, pertencente a Dasa, a maior rede de saúde integrada do Brasil.

A radiologista cita que o rastreio do câncer de mama também é feito de forma individualizada, de acordo com o histórico da paciente. “Em alguns casos, quando a mulher possui a mama densa, ou seja, uma quantidade maior de glândulas, é necessário solicitar uma ultrassonografia complementar, por exemplo. Já para mulheres que têm casos de câncer de mama na família, a mamografia pode ser prescrita antes dos 40 anos e pode ser indicada a ressonância magnética com contraste”, cita a especialista.

Já a Dra. Flávia Vidal, mastologista do Hospital Brasília, marca que também faz parte da Dasa, destaca que o mais importante é realizar o rastreio precoce para identificar lesões iniciais antes mesmo do aparente de sinal ou sintoma sugestivo. “Quando temos o diagnóstico precoce e fazemos o tratamento de forma rápida, a chance de cura é de mais de 96% no caso do câncer de mama. Então, essa é a grande importância de buscar com regularidade um atendimento especializado”, ressalta.

Além da avaliação médica de rotina, o autoexame é um aliado no monitoramento da saúde da mama porque ajuda as mulheres reconhecerem alterações em seu corpo, conforme explica a Dra. Ana Glauce, radiologista especializada em ultrassonografia do Exame Medicina Diagnóstica: “Apesar de não substituir a realização periódica da mamografia para rastreamento, esse método permite reconhecer até 80% dos cânceres de mama, segundo estatísticas publicadas em vários artigos científicos. Isso demonstra a importância de se cuidar e conhecer o seu corpo”.

O autoexame deve ser feito mensalmente e em frente ao espelho para melhor visualização das mamas. Ao notar qualquer diferença, seja de cor, de textura, nódulo, áreas mais espessadas ou endurecidas, é importante procurar o médico. Para mulheres que ainda não entraram na menopausa, o indicado é realiza-lo após o período menstrual, quando o seio estará mais amolecido. “Não deixem também de ter esse cuidado na gestação e durante a amamentação, épocas em que o câncer também pode surgir”, complementa a Dra. Ana Glauce.

Quanto ao câncer de colo de útero, o infectologista do Exame Medicina Diagnóstica, Jose David Urbaez Brito, destaca que essa é uma neoplasia causada por um agente infeccioso chamado Papilomavírus Humano (HPV), transmitido sexualmente.  Ele possui dezenas de sorotipos capazes de infectar a pele ou mucosas e gerar uma variedade de lesões, desde verrugas genitais até o câncer. No entanto, pode ser prevenido de forma efetiva com a aplicação da vacina. “O câncer de colo do útero ceifa a vida de milhares de mulheres, mas a vacina tem um enorme sucesso contra o vírus. Trata-se de um imunizante muito seguro”, afirma.

Segundo ele, o imunizante pode ser aplicado a partir dos 9 anos de idade para o sexo feminino e masculino, porque antecede o início da atividade sexual. O Exame Medicina Diagnóstica oferece a vacina contra HPV quadrivalente, que previne as infecções persistentes e lesões pré-cancerosas causadas pelos tipos de HPV 6,11,16,18. Além de reduzir a incidência de câncer do colo do útero, essa imunização também previne o câncer da vulva, da vagina, do ânus e verrugas genitais (condiloma acuminado). Saiba mais sobre a vacina clicando aqui. https://laboratorioexame.com.br/vacinas/

Agende sua consulta – As unidades do Hospital Brasília - Lago Sul, Águas Claras e Maternidade – contam com equipe especializada em oncologia, ginecologia, mastologia e diversas outras áreas voltadas à saúde da mulher. Confira em https://hospitalbrasilia.com.br e https://maternidadebrasilia.com.br/pt.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem