Operação Nordeste Solidário: Caiado apresenta plano de contingência para período chuvoso

Gestão estadual adota nova estratégia para proteger cidades que sofreram danos causados pelas chuvas no final do ano passado. Ao todo, 14 municípios vão contar com monitoramento climático, reparos em rodovias e reforço em ações de saúde





Fotos: Pedro Santos.

Com o início do período chuvoso em Goiás, o governador Ronaldo Caiado lança nesta segunda-feira (31/10), às 15h, em Goiânia, a Operação Nordeste Solidário. Trata-se de um plano de contingência, já em andamento, para adoção de ações nas áreas de infraestrutura, social, saúde e outras frentes essenciais para evitar desastres, mitigar possíveis danos e garantir a segurança de toda a população.

A operação é baseada em levantamentos realizados pela Defesa Civil e pelo Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado de Goiás (Cimehgo), aprimorados a partir das ocorrências registradas na última temporada de chuvas, quando 24 cidades goianas decretaram situação de emergência. Na época, o governador foi pessoalmente a Teresina de Goiás, Faina, Itapirapuã, Monte Alegre de Goiás, Alto Paraíso de Goiás, Formoso, Santa Tereza de Goiás, Guarani de Goiás, Nova Roma, Divinópolis de Goiás e Campo Belos para acompanhar os trabalhos da força-tarefa montada pelo Governo de Goiás e coordenar a distribuição de alimentos, medicamentos e água mineral às famílias afetadas.

Neste ano, o plano de contingência abrange 14 municípios classificados com alto grau de risco, a maioria no Nordeste. São eles: Cavalcante, Nova Roma, Alto Paraíso, São João D`Aliança, Água Fria de Goiás, Niquelândia, Mimoso de Goiás, Formosa, Uruaçu, Hidrolina, São Luiz do Norte, Pilar de Goiás, Teresina de Goiás e Itapaci. Os estudos indicam, ainda, que cerca de 19 mil pessoas podem ser afetadas direta ou indiretamente com os efeitos das fortes chuvas. Por isso, a cartilha elaborada pelo Estado prevê suporte integral e imediato.

O trabalho será executado em parceria por 17 pastas da administração estadual, entre elas Gabinete de Políticas Sociais (GPS), Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), Saneago, Agência Goiana de Habitação (Agehab), Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) e secretarias de Desenvolvimento Social; Saúde; Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; Educação; e Esporte e Lazer.

Última temporada
Durante o pico do mais recente período chuvoso que atingiu o Estado, entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022, cerca de 20 mil pessoas sofreram com os estragos causados pelas chuvas. Preocupado com a situação, o governador Ronaldo Caiado passou a virada do ano e permaneceu uma semana visitando as cidades mais afetadas e se reunindo com membros da força-tarefa montada para contornar os danos nas regiões Nordeste, Norte e Noroeste.

A operação chegou ao fim com o investimento de R$ 36,6 milhões na recuperação de pontes e rodovias danificadas pelas chuvas; além de 116 ocorrências atendidas pelo Corpo de Bombeiros e Defesa Civil. Na área social, foram entregues mais de 32 mil cestas básicas, 200 filtros de água, 1,2 mil cobertores e 2 mil pacotes de Mix do Bem. Houve, ainda, a destinação de R$ 5 milhões em Crédito Social, a distribuição de 1.732 cartões do Aluguel Social e reforço nas ações de imunização e de combate ao Aedes aegypti.

Meteorologia
Previsões do Cimehgo indicam que pode chegar a chover 500mm em 70 municípios das regiões Centro, Norte e Nordeste, em um único mês, cenário semelhante ao ocorrido entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022. Tal volume pode causar isolamento de cidades, com desabastecimento de alimentos e outros insumos; contaminação de água potável; perda na lavoura e pecuária e rompimento de barragens.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem