APTA de Portas Abertas aproxima a ciência da sociedade paulista

Durante dois dias, dez unidades da APTA apresentarão programações com atividades práticas, teóricas e visitações

 

Nos dias 18 e 19 de novembro, dez unidades da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) literalmente abrirão suas portas para receber estudantes de escolas públicas e particulares e a sociedade em geral para uma troca de experiências entre os pesquisadores dos Institutos e a população de sete diferentes cidades paulistas. Com diversas atividades, os espaços estarão abertos das 9 às 17 horas nos dois dias.

“Essa ação tem como objetivo aproximar as comunidades próximas aos trabalhos realizados nas unidades da APTA. Abriremos as portas das instalações dos Institutos para que todos possam conhecer a estrutura, os experimentos e as atividades desenvolvidas em prol do agronegócio paulista, que influenciam diretamente o dia a dia da população de todo o país”, afirma Sergio Tutui, coordenador da APTA.

Participarão da ação, na cidade de São Paulo, o Instituto de Economia Agrícola (IEA), o Instituto de Pesca (IP) e o Instituto Biológico (IB). Em Campinas, serão duas unidades: o Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital) e o Instituto Agronômico (IAC). Fechando a lista estão as unidades da APTA Regional de Pariquera-Açu, de Itapetininga e de Assis, além do Centro de Seringueira e Sistemas Agroflorestais do IAC, em Votuporanga, e as unidades do Instituto de Zootecnia (IZ) nas cidades de Nova Odessa e Registro.

O primeiro dia da ação será focado na visitação de escolas, com o objetivo de apresentar aos alunos da região de cada unidade como é desenvolvido o trabalho de pesquisa e desenvolvimento de tecnologias voltadas ao desenvolvimento do agronegócio. No sábado, segundo dia, as unidades serão abertas para a comunidade em geral, que poderão visitar as instalações e participar das atividades preparadas pelas equipes dos Institutos.

Para a ação, as unidades preparam estações que destacam os estudos e as tecnologias desenvolvidas por cada uma delas e que fazem parte do dia a dia da população. “Temos diversos trabalhos relevantes que saíram de pesquisas desenvolvidas por nossos cientistas para a agricultura e criação animal. Será uma experiência muito importante para todos nós, tendo em vista que teremos a oportunidade de mostrar nossas tecnologias para o público que está em nossa volta”, finaliza Tutui.

Pluralidade de atrações

Nos dois dias, cada instituição contará com uma programação específica composta por várias atividades práticas, teóricas e visitações. Na APTA Regional de Pariquera-Açu, o público conhecerá experimentos e a colheita de banana e pupunha, além de visitar os setores de piscicultura e cacau e uma estufa com material genético utilizado para melhoramento de antúrio. Na unidade de Itapetininga, com direito a passeio de trenzinho trator, os participantes terão acesso as cadeias produtivas de soja e o sistema integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF).

Na APTA Regional de Assis serão apresentados experimentos com uva, animais dos projetos de bovinocultura de leite e piscicultura da unidade, além da coleção de variedades de mandioca de indústria e mesa. Já o Centro de Seringueira e Sistemas Agroflorestais, em Votuporanga, contará com um circuito de campos experimentais e o público terá acesso ao sistema de aquaponia que está sendo montando no local.

Em Campinas, o Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital) terá testes sensoriais, visita a planta e laboratório e exposição. No Instituto Agronômico (IAC), o público conhecerá o maior acervo de títulos de agricultura da América Latina, na biblioteca da entidade, além de poder “retornar” à arquitetura do passado por meios dos prédios históricos do local. Durante os dois dias, os participantes também terão acesso a exposições e projetos nos Centros de Pesquisa sobre café, horticultura, grãos e fibras, fitossanidade, solos e recursos ambientais, recursos genéticos vegetais, biossistemas agrícolas e pós-colheita, frutas, cana, citricultura, engenharia e automação, seringueira e sistemas agroflorestais.

Nos dois dias, o Instituto de Zootecnia (IZ), em Nova Odessa, oferecerá uma série de atividades ao ar livre, como visitas ao Sistema AQUAPEC, que integra piscicultura de recirculação e aquaponia à pecuária em sistemas de ILPF, e ao Laboratório Móvel de Análise da Qualidade do Leite. A biblioteca do local também estará aberta, haverá sorteio de brindes e o público participante vai conhecer as instalações e estruturas do local, além de duas áreas importantes de pesquisa: a Vitrine tecnológica de Aves e Ovos e Setor de Ovinocultura.  

Na capital, a programação do Instituto de Economia Agrícola (IEA) terá a exposição da memória institucional do IEA, mostra de objetos comemorativos, equipamentos usados em trabalho de campo, publicações históricas etc; e levantamentos estatísticos com destaque para o retorno social dessas pesquisas.

Fechando a série de ações, também em São Paulo, o Instituto de Pesca Vila Mariana e o Instituto Biológico terão uma programação com 10 atividades que vão desde a criação do peixe-zebra, passando pela coleta de amostras de água in loco, apresentação do aquário com tilápia e do Museu de Pesca de Santos Itinerante, em Santos, venda de produtos à base de pescado, até uma oficina de origami.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem