MPDFT acompanha aplicação de fumacê nas ruas do DF

Atuação conjunta da PDDC e Prosus acompanha ações de combate à dengue da Secretaria de Saúde


A Procuradoria Distrital de Direitos do Cidadão (PDDC) e a 3ª Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde (Prosus) acompanharam nesta quinta-feira, dia 3 de novembro, o trabalho da Subsecretaria de Vigilância à Saúde na aplicação do inseticida de ultra baixo volume (UBV), o chamado fumacê, no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da chikungunya e da zika, nas ruas do Distrito Federal. Dezesseis veículos do Núcleo de Controle Químico da Subsecretaria saíram de Taguatinga para borrifar o Fumacê, que costuma ser aplicado nos horários de 5h às 9h e das 17h às 22h.

A aplicação do produto é realizada a partir do monitoramento semanal da proliferação das larvas do mosquito. A PDDC e a Prosus explicam que, além do trabalho preventivo e corretivo da Secretaria de Saúde no combate à dengue, é fundamental o caráter educativo. “A sociedade precisa fazer a sua parte, permitindo que os agentes da vigilância em saúde entrem em suas residências, colaborando para a eliminação do mosquito. Além disso, deve evitar o acúmulo de água parada em recipientes como caixas d'água, pratinhos de plantas, entre outros”, ressalta o procurador distrital Eduardo Sabo. A orientação da Subsecretaria de Vigilância à Saúde é que, quando o fumacê passa pelas ruas, devem-se abrir as janelas e as portas das residências para aumentar a eficácia do produto.

A promotora de Justiça da Prosus Hiza Carpina destaca que a população também deve se atentar para o correto acondicionamento do lixo em sacos pretos e para os horários que os caminhões passam para recolher o material. Segundo frisa, o lixo é uma das principais fontes de proliferação dos mosquitos Aedes aegypti.

Entre 2 de janeiro e 1º de outubro de 2022, foram registrados 66.834 casos prováveis de dengue no Distrito Federal, um número 398% maior do que os 12.882 infectados em 2021. Os dados são do boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde do DF. Segundo o documento, 96% dos casos verificados nos dez primeiros meses de 2022 são moradores do DF. A dengue é uma doença transmitida por meio da picada do mosquito Aedes aegypti, que se reproduz em água parada. A zika e a chikungunya também são doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Os sintomas são parecidos com os da dengue: febre, manchas na pele e dores articulares. Não existe tratamento específico para as infecções por estes vírus. A orientação é que o paciente procure a unidade de saúde mais próxima. Além disso, é indicado repouso e ingerir bastante líquido.

Paulo Melo

"Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida." (Bob Marley)

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem