Com IPVA mais caro em 2023, modelo de negócio de carro por assinatura é alternativa para brasileiros que priorizam uso

 

Crédito: Divulgação V1

Segundo dados divulgados pela Zapay, o IPVA 2023 ficará, em média, 10% mais caro em todo país. Serviço por assinatura ofertado pelo V1, plataforma de mobilidade urbana do Grupo Águia Branca, é opção mais diligente e menos burocrática

O começo do ano é caracterizado por relevantes despesas fixas como renovação de seguro, matrícula escolar e impostos, em especial aqueles cobrados sobre propriedades, como o IPTU, DPVAT e IPVA. O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) é recolhido pelos Estados e Distrito Federal e calculado de acordo com cada veículo, podendo variar pelo modelo e ano de fabricação. Com a valorização dos carros novos e usados no Brasil, o IPVA aumentou nos últimos anos e será ainda mais caro em 2023. Corroborando ainda mais o entendimento de que adquirir um carro é custoso, um estudo inédito sobre a relação do brasileiro com o automóvel, realizado pela Serasa em parceria com o instituto Opinion Box em dezembro de 2022, revelou que os custos que envolvem a aquisição e manutenção de um carro estão entre os três maiores gastos anuais em 63% dos lares brasileiros. Ainda, 40% dos brasileiros consideram complexo realizar contas sobre os custos para manter o automóvel. Todavia, existe um novo modelo de locação mais prático, menos burocrático e que dispensa as despesas de manutenção e compra do carro.

Os carros por assinatura são uma modalidade relativamente nova no setor de locação de veículos e com ótima aceitação. Dados da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA) revelaram que a frota das empresas de locação destinada ao carro por assinatura cresceu 20,8%, entre janeiro e outubro de 2022. Uma das empresas associadas à ABLA é o V1, uma plataforma de mobilidade urbana que atua em locação e assinatura de carros 100% digital, gestão de frotas terceirizadas para empresas, fleet service, translado de pessoas e outras soluções. Considerado um dos maiores players do setor no país, o V1 faz parte do Grupo Águia Branca.

O aplicativo V1 oferece dois tipos de serviço: aluguel de carros 100% digital e veículos por assinatura, pagando apenas a mensalidade. Ambos os serviços propostos funcionam via aplicativo em um formato 100% digital. No ano passado, o V1 disponibilizou 1.650 veículos para a modalidade por assinatura. “Como uma espécie de streaming, você assina o veículo por tempo determinado, sem se preocupar com revisões, seguro, documentação, tributos, manutenção, financiamento e possíveis desafios na hora de revender o automóvel”, explica o diretor de negócios do V1, Leonardo Balestrassi.

Assinatura difere do aluguel: carro 0 km sem depreciação

Neste formato de negócio de carro por assinatura, ao invés de adquirir um veículo próprio, o cliente assina o carro por até 24 meses. A modalidade é baseada no conceito de "uso" e não de "posse", com a vantagem de dirigir apenas carros 0km. “Diferente da modalidade de locação, o carro contratado na assinatura será sempre zero quilômetro”, explica Leonardo

“Entendemos que essa é uma das principais diferenças da assinatura: garantir um veículo zero-quilômetro, já que é possível trocar e circular com um novo modelo”, destaca Leonardo. Além da possibilidade de garantir um modelo mais atual, o cliente não precisará se preocupar em investir em um veículo próprio que irá depreciar com o passar do tempo. “O índice de desvalorização é o ritmo no qual um automóvel perde valor com o tempo. Existem duas formas de cálculo para avaliar a depreciação do carro: a primeira, com base na média de mercado do automóvel, por meio da Tabela Fipe. Neste caso, basta analisar os valores ano a ano a fim de chegar ao índice de desvalorização. Ou é possível usar o sistema da Receita Federal, que divulga um método para calcular o índice de depreciação contábil de um carro”, complementa.

Vale ponderar antes de adquirir um automóvel próprio que o carro é um bem patrimonial de uso contínuo e, consequentemente, apresenta um índice depreciativo. “No caso dos automóveis, estima-se que eles perdem cerca de 20% de seu valor no momento em que saem da concessionária”, alerta o diretor.

Na ponta do lápis: investir o dinheiro é financeiramente mais benéfico

Em termos de precificação, o valor pago mensalmente pelo cliente é único, sem arcar com IPVA, licenciamento, seguro, depreciação, custo de manutenção e troca de pneus, revenda, etc. O V1 ainda garante assistência 24 horas, caso o carro precise de qualquer reparo, seguro, emplacamento e impostos.

Na compra de um carro, é importante salientar que o valor anunciado pela concessionária ou proprietário é apenas a primeira despesa a ser considerada. Outros custos como manutenção, estacionamento, impostos, seguro, revisões, emplacamento e licenciamento também incidem sobre o bem. “Além dos custos habituais na compra e preservação de um automóvel, vale lembrar que um item que preocupa quem decide comprar carros 0 km é a desvalorização. A desvalorização se refere à redução do valor de um veículo com o passar do tempo, principalmente nos três primeiros anos após a fabricação. Exemplificando, com uma SUV como o T-Cross, que é um modelo visado atualmente e, estimando uma desvalorização média de 15% ao ano, podemos calcular uma depreciação anual de R$ 21 mil. Já o Mobi, modelo da Fiat mais acessível que custa em torno de R$ 67 mil, desvaloriza, em média, R$ 10 mil ao ano”, calcula Guilherme Marques Moura, doutor em Desenvolvimento Econômico e professor da Escola de Negócios da Universidade Positivo.

O modelo de negócios por assinatura é mais benéfico, especialmente quando se considera o dinheiro gasto na compra do automóvel, que poderia ser investido. “No caso da compra do carro zero km, custo de oportunidade indica outras coisas que poderíamos fazer com o dinheiro. Por exemplo, o consumidor poderia utilizar o capital para dar entrada em uma casa, realizar uma viagem, reformar a casa, dentre outros. Seja o caso do modelo T-Cross que está hoje R$ 141.810 (valor da montadora), o cliente pode optar por um carro por assinatura e investir o valor em algum produto financeiro. Admitindo um investimento em um Certificado de Depósito Bancário (CDB) de 14% a.a., taxa pouco arriscada e com retorno bem comum, poderia ser obtido um retorno de R$ 1.364,92/mês, ou R$ 16.379,06/ano”, complementa.

“O mercado de assinatura de veículos tem especulação de crescimento para 2023, visto que a compra de carros no Brasil envolve hoje uma consciência de arcar com juros altos para garantir a posse do veículo. O V1 está comprando novos modelos de veículos neste ano, para atender todas essas necessidades. Apenas no primeiro trimestre, iremos investir R$ 36 milhões no aumento e na renovação da frota, com a compra de carros novos que chegam para substituir modelos já usados em final de contrato e devolvidos por clientes”, finaliza Leonardo.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
GDF
Bio Caldo - Quit Alimentos
Canaã Telecom