HCN inaugura centro de Serviço de Apoio Diagnóstico Terapêutico (SADT)

    Novo espaço é o primeiro do Brasil a possuir sala de ressonância magnética com projeção imersiva


O Hospital Estadual do Centro-Norte Goiano (HCN) inaugurou na última quarta-feira (15/02) o novo centro de Serviço de Apoio Diagnóstico Terapêutico (SADT) da unidade. Após dois meses de obras, o espaço apresenta suas novas instalações, com serviços de diagnóstico e uma equipe de especialistas multiprofissionais para atender toda a população da região Centro-Norte de Goiás. 

A cerimônia de inauguração do novo SADT contou com a presença do governador Ronaldo Caiado, acompanhado pela superintendente de Políticas de Atenção Integral em Saúde, Paula dos Santos Pereira, que representou o secretário estadual de Saúde, Sérgio Vencio.

Segundo o governador, ver de perto a regionalização avançando e consolidando assistência de qualidade ao cidadão do interior, é um orgulho. “É com respeito, com humanização e com dignidade que as pessoas saem daqui agradecidas depois de tratadas, e é isso que é gratificante para mim”, afirma Caiado.


O primeiro do país

O novo centro de Serviço de Apoio Diagnóstico Terapêutico do HCN é o primeiro do país e do Sistema Único de Saúde (SUS) que possui uma sala de ressonância magnética com projeção imersiva, com tecnologia importada de Israel.

“O que temos no HCN é inédito. Hoje inauguramos o centro de diagnósticos mais humanizado do SUS e do Brasil”, destaca Maria Caroline Lazarini Dias, diretora jurídica do Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento (IMED), organização responsável pela gestão do hospital. 

A tecnologia de projeção imersiva tem a finalidade de humanizar ainda mais a experiência do paciente, permitindo que ele escolha antes de entrar na sala de exame, uma ambiência para a projeção e uma música de fundo. De acordo com João Batista, diretor assistencial do HCN, isso muda completamente a experiência de um exame como esse. “Sabemos que, muitas vezes, realizar uma ressonância pode causar ansiedade ao paciente”, atenta ele.

O diretor da unidade ressalta também a importância dos novos equipamentos de tomografia e raio-X digital, aparelhos de alta tecnologia que foram adquiridos com o intuito de agilizar os processos, melhorar a qualidade dos exames e, consequentemente, a segurança nos diagnósticos.


Novo espaço e novos equipamentos

O novo espaço do SADT conta com sala de ressonância magnética, sala de tomografia, sala de comando, duas salas de raio-X digital, sala de cicloergometria, duas salas de ultrassom, sala de holter, duas salas de ECG, duas salas de endoscopia, sala de impressão de laudos, sala de limpeza e desinfecção, sala de guarda-materiais, sala administrativa e uma copa. 

Além disso, todo o centro possui salas com ambientação e espaços humanizados, a fim de oferecer o melhor atendimento possível aos pacientes, integrando a ampliação da estrutura física com equipamentos modernos. Com a aquisição dos novos aparelhos, o espaço agrega uma nova tecnologia para a unidade, auxiliando no diagnóstico de diversas doenças, na identificação de tumores, infecções ou coágulos, e ainda na detecção e monitoramento de lesões ou patologias. 

O acesso a esses serviços, com tecnologia de última geração e exames de alta complexidade, proporciona um diagnóstico mais assertivo e possibilita maior agilidade no tratamento precoce dos pacientes. Somente nos dois primeiros meses deste ano já foram realizados 2.245 exames de tomografia, 96 ressonâncias magnéticas e 3.437 raios-x na unidade. 

Foram investidos no novo SADT cerca de 11 milhões de reais, entre equipamentos médico-hospitalares e infraestrutura. Com o novo espaço inaugurado, o hospital passará a oferecer ainda mais exames, atendimentos e serviços gratuitos à população do estado.


Questões ambientais

Todo o projeto e estrutura do novo SADT foram desenvolvidos considerando não somente as questões assistenciais e técnicas, mas também as questões ambientais. Pensando no contexto em que vivemos, a sustentabilidade deve ser um dos pilares de qualquer instituição de saúde. 

O IMED busca trabalhar com os pilares do ESG (Ambiental, Social e Governança corporativa), alinhando suas ações aos ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável) da ONU – agenda 2030, a fim de minimizar sua pegada (medida que calcula a emissão) de carbono frente às mudanças climáticas, que é um dos principais problemas de saúde pública nos dias de hoje.

Por isso, o HCN se tornou também o segundo hospital público do Brasil com sistema de monitoramento de utilities, com painel de controle para acompanhar o consumo de água e energia. Além disso, a unidade tem implantado ações com maior sustentabilidade ambiental, como uso racional de água, eficiência energética, gerenciamento adequado de resíduos sólidos, criação de indicadores socioambientais, cálculo da pegada de carbono e da emissão de gases de efeito estufa dos hospitais, entre outras. Todas essas ações têm o intuito de mitigar a pegada de carbono da unidade, promovendo a saúde dos usuários com maior qualidade de vida e bem-estar, mas também cuidando da saúde do nosso planeta.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
GDF
Bio Caldo - Quit Alimentos
Canaã Telecom